Feira nacional expõe lançamentos de câmeras digitais

Renan.Spolon

Beligerante - Hard Training, Mission Easy.
Banido
Máquinas com muitos megapixels, grande capacidades de armazenamento de imagens e novidades em tecnologia de impressão digital são algumas das estrelas da 14 ª PhotoImageBrazil 2006 (www.photoimagebrazil.com.br), feira que será realizada entre os dias 8 e 11 de agosto no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

Com diversos lançamentos, a feira dará uma mostra de um mercado que tem registrado crescimento de nada menos que 20% ao ano. Só entre os meses de janeiro e maio de 2006, foram vendidas 367.779 câmeras fotográficas digitais no Brasil e a boa notícia para o consumidor é que elas estão mais baratas: os preços caíram 21,6%, segundo pesquisa do instituto GfK.

São mais de cem expositores e a expectativa dos organizadores é de receber 30 mil visitantes. E o consumidor está mais exigente em relação a seu equipamento fotográfico, o estudo da GfK mostra que os modelos entre 1 a 3 representaram apenas 3,5% das vendas no mês de maio, enquanto as máquinas de 4 a 6 MPs possuem mais de 60% do mercado. Mesmo assim é consenso entre os organizadores que não bastam apenas grandes quantidades de megapixls, o que move a escolha do amante e profissionais da foto digital é a variedade de novos recursos, um menu mais interessante e definição do visor. Some ainda sistemas de fusão, manipulação e edição.

Quem vai estrear no mercado brasileiro mostrando suas linha de máquinas digitais durante o evento é a Panasonic, que apresenta dois modelos que o DMC-LX1 de 8,4 MP e o DMC FH01, de 6.0 e design slim. Já a Samsung além de mostrar novas câmeras anuncia a fabricação no Brasil dos modelos S500 e S600, de 5,1 MP e 6,2 MP. Já no estande da Fuji, além dos lançamentos, cerca de 30 equipamentos poderão ser testados pelos visitantes. Sony, Pentax, Kodak e Canon também farão lançamentos para profissionais e amadores durante o evento.

Memória e impressão

Mas o mundo da foto digital não é feito somente de equipamentos fotográficos. O estudo da GfK mostra que também existe uma ebulição em sistemas de impressão e só no ano passado foram comercializados mais de 96 milhões de unidades de produtos relacionados a impressão de foto.

A Sony irá mostrar suas impressoras para o mercado fotográfico dois modelos em impressora, a UPA-PC500 e a UP-CR10L, também conhecida como Snap Lab, ambas voltadas à finalização profissional que imprimem sem a necessidade de um computador. Segundo o fabricante, para imprimir uma foto 9 x 13 cm a Snap Lab leva aproximadamente 13 segundos. Já o minilab da Fuji é o Frontier, no qual o público poderá fazer cópias gratuitas durante o evento.

Quanto mais imagens, mais memória e as vendas de memory card no ano passado bateram na casa de US$ 400 milhões. Da Extralife vem Secure Digital que permite a transferência de dados a 120X, algo como processamento de 20 fotos por segundo e capacidade de armazenamento de 128 Mb e 256 Mb, custam R$ 89 e R$ 134, respectivamente. Na Kingston a aposta é por alto armazenamento com um cartão de 8 GB de capacidade e taxas de transferência de até 8 MBps para leitura e 6.75 MBps para gravação. Custa R$ 1566. Já os cartões miniSD e MMCmobile de 2GB, de tamanho reduzido, saem por R$ 360.

Fonte: Folha Online
 

Usuários que está vendo este tópico

Topo