Jogo passa 'a pior imagem possível' do Rio, diz delegada sobre Call of Duty 2

Continua após a publicidade

BlackeR

Cromossomos Felizes xD
Registrado
Não é novidade que o Rio de Janeiro entrou no mundo dos jogos eletrônicos como o cenário de combates sangrentos entre criminosos e policiais. Mas no game “Call of Duty: modern warfare 2”, um dos jogos mais badalados do momento, a fase que se passa dentro de uma favela carioca tem provocado polêmica. Para quem convive diretamente com a realidade das comunidades, houve exagero ao retratar a violência nestas regiões.

“Quando se associa o Rio de Janeiro, principalmente a imagem do Cristo Redentor, com a imagem estereotipada da favela, num primeiro momento, para quem não conhece a realidade, pode parecer sim. Mas o que vemos dentro da favela é que existe vida, e o jogo não mostra isso” disse a delegada titular Helen Sardenberg, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro.


Na fase que mostra a favela carioca, os “mocinhos” têm que encontrar um terrorista que está escondido entre os becos e vielas que circundam milhares de barracos de uma favela. Para a delegada, apesar de a violência fazer parte do cotidiano dos moradores destas regiões, não há semelhança entre as operações policiais e as cenas produzidas pelo jogo.

“Eu acredito que o jogo foi criado por pessoas que não convivem com a realidade das comunidades. (O jogo) passou a pior imagem possível e tenta instigar uma ideia de guerra (...) Eu achei que a ação é exagerada. Ela simula mais uma guerra do que uma ação policial. Não fica claro pra quem está jogando qual o objetivo daquela ação, enquanto que, na ação policial, os policiais têm objetivo”, explicou.


Ela ressalta que um dos principais “erros” do jogo são as armas usadas pelos protagonistas do jogo. “A gente vê no jogo utilização de granadas, o que não se usa, por causa do potencial lesivo. Com relação a outros tipos de armas, eu posso dizer que são armas poderosas, que são utilizadas em situação de exceção, e não de regra”.


E conclui: “O jogo estimula no jogador uma imagem de que todo aquele tipo de arma é necessária para o confronto, quando não. Num primeiro momento, nós temos que trabalhar com armas não letais, com mediação”.

Guerra em casa

A grande imersão proporcionada por alguns jogos de videogame da atualidade os coloca níveis acima de outras produções culturais como filmes e músicas e transforma o título em um padrão a ser seguido por toda a indústria. A realidade que o game “Call of duty: modern warfare 2” consegue apresentar é tanta que, por meio dos gráficos e do som ininterrupto dos tiros, o jogador se sente dentro de uma verdadeira zona de combate.

O título, desenvolvido pela Infinity Ward e produzido pela Activision, é a sequência direta do primeiro “Modern warfare”, lançado em 2007, que conta a história de um grupo de soldados americanos contra terroristas russos.



O game é de tiro em primeira pessoa, ou seja, o jogador enxerga pelos olhos do personagem, com a arma utilizada em primeiro plano. A guerra fictícia retratada apresenta muita violência, tornando o jogo não recomendado para menores de 17 anos nos Estados Unidos. No Brasil, o jogo ainda não tem classificação indicativa definida.


A Activision também quis trazer polêmica para o game. Entre as mais de 10 horas de jogo do modo “campanha”, além de enfrentar traficantes no Rio de Janeiro, o jogador viajará para combater milícias em territórios como o Afeganistão e terá que participar de um terrível ataque terrorista em um aeroporto russo. Contudo, para não ofender boa parte de seu público, há uma opção no início do game que desabilita missões como essas e conteúdo mais ofensivo como excesso de sangue, por exemplo.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Games/0,,MUL1414817-9666,00.html

Vídeo: http://video.globo.com/Videos/Playe...3-DELEGADA+AVALIA+O+JOGO+CALL+OF+DUTY,00.html


Ela provavelmente nem se deu o trabalho de sair sobre a história do jogo antes de tirar as suas concluções.
:cry:
 
Última edição:

Continua após a publicidade

sallim

New Member
Registrado
o jogo so passo oque acontece no rio , cidade ta com problema e autoridade não gosta que mostre lol
 

Panda

impeckable
Membro Honorário
Brasileiro sempre com essas frescuras... Não vejo japoneses, alemães ou similares reclamando.
Só falta daqui a pouco vir algo do tipo "jogo passa a pior imagem do nazismo". :rolleyes:

Alguém já percebeu que sempre aparece algum espertão tomando as dores quando esse tipo de coisa é retratada em jogos? Daqui a pouco algum dePUTAdo vai tentar lançar algum projeto de lei pra bloquear todos os FPS.
 

megazz

Freeman
Registrado
AHUuhahuaeahae tem que rir!

Igual quando proibiram o counter-strike por causa do mapa cs_rio!
 

fadere

New Member
Registrado
essa delegada deve urgentemente ir no oftalmologista, a imagem real do RJ é muito pior, no game não tem crianças sendo baleadas ou baleando os outros, não tem forno microndas q a vagabundagem faz ou queima de onibus com crianças dentro...é como dizer q tropa de elite é um filme mentiroso.
 

lndnfsu2

Active Member
Registrado
o jogo eh de guerra e nao do BOPE...

Alguém já percebeu que sempre aparece algum espertão tomando as dores quando esse tipo de coisa é retratada em jogos? Daqui a pouco algum dePUTAdo vai tentar lançar algum projeto de lei pra bloquear todos os FPS
tao quase la... ¬¬
 

Marcolino

New Member
Registrado
Pra mim o jogo mostrou o que realmente se passar no rio. O que todos nós brasileiros sabemos, mas quando os gringos falam sobre isso a gente não gosta.
 

xigaaano

New Member
Registrado
concordo com a delegada quando ela diz que o jogo não retrata a guerra contra o trafico, ate pq no jogo quem vence é a policia e na vida real é o traficante, ela diz q no jogo se usa a granada e na vida real eles não usam pois ela tem poder de destruição massiva, mas engraçado que traficantes tem ate lança missil, e isso ela não cita, na verdade as armas dos traficantes no jogo estão desatualizadas em relação as que eles possuem realmente, então não sei pq vem com essa conversinha de que não retrata a verdadeira face das favelas no rio, pode ate ser diferente, mas o que eles não perceberam que é um jogo de guerra, em que o objetivo é destruir o inimigo, que graça teria se seguisse a vida real em que a policia mal entra na favela e o trafico corre solto.
 

jpaulo16

Active Member
Registrado
Até parece o tipo de arma faz diferença em meio de uma guerra civil generalizada que vemos todo dia nos jornais?

Se não me engano, não são policiais brasileiros q vão enfrentar os traficantes. Só nisso já quebra os argumentos dela.
E como o pessoal falou, não mostra a crueldade dos traficantes e nem crianças como sabemos que tem.

E como assim não tem objetivo? Ir capturar o terrorista escondido é oq então?

Se ficou chocada com isso, o q diria da fase do aeroporto?

Chega de tapar o sol com a peneira, né?
 

fadere

New Member
Registrado
é... e tem muita gente(povão) q tem esse mimimi tb.q dizem q uma boa parcela da violencia é culpados games, dos filmes etc...
 

lndnfsu2

Active Member
Registrado
Experiencia propria ou viu na sua TV de lcd?

vai dizer que o Rio eh igual ao das novelinhas da globo aonde todos tem carros zero, casas enormes e passam a tarde toda andando na praia...
 

--==Insano==--

v6 são todos loucos
Registrado
só assisit o jornal e ver que a imagem que os proprios brasileiros passam do rio é muito pior do que a do jogo.

A exemplo de Caramdiru, Bop e etc..
 

orakulo

Banido
Banido
O delgadinha hipocrita, por aí a gene ve o nível da nossa policia!

Vejam se por um acaso tem Call of Duty ou qualquer outro jogo do genero se passando em Oslo, Estocolmo, Dublin, Zurique, Milão....

Pq será que não né?!!??!

Cheers Mates!


Ps: No jogo pelo menos o helicoptero consegue resgatar os personagens, já no Rio de verdade:

 
Última edição:

usucapiao

(Palhacx Brasileirx / Elu)
Registrado
Ps: No jogo pelo menos o helicoptero consegue resgatar os personagens, já no Rio de verdade:


Cômico e trágico ao mesmo tempo! Mas a verdade!
Foi enfático!

Nossas autoridades devem parar de tentar remendar uma situação.
 

Direu

PSN ID: LeonhartBr
Registrado
O delgadinha hipocrita, por aí a gene ve o nível da nossa policia!

Vejam se por um acaso tem Call of Duty ou qualquer outro jogo do genero se passando em Oslo, Estocolmo, Dublin, Zurique, Milão....

Pq será que não né?!!??!

Cheers Mates!


Ps: No jogo pelo menos o helicoptero consegue resgatar os personagens, já no Rio de verdade:


Ah encontrar o endereço de e-mail dessa delegada, eu mandaria o teu post completo pra ela!! :yes:
 

helioaff

New Member
Registrado
Fico indignado com essas atitudes esse tipo de gente só aparece para falar a respeito do jogo quando este está pronto e todas as pessoas do "Planeta" já jogaram. Seria devido ao grande sucesso e ao faturamento astronômico da empresa desenvolvedora e o Brasil teve uma pequena participação somente com poucos inpostos sobre o game? Fico put0 da vida mesmo. Se ela não sabe o que quer dizer "jogos" ela não teve infância e nunca ou provavelmente brincou de casinha.... Delegada teria você interesse pessoal em algo pois foi isso que percebi.
 

Fratini

!!Galo doido!!
Registrado
Ela provavelmente nem se deu o trabalho de sair sobre a história do jogo antes de tirar as suas concluções.
:cry:

Cara.. na boa.. concordo com tudo q o delegado falou! E no contexto doq ele falou, nao importa a historia do jogo..

“Eu acredito que o jogo foi criado por pessoas que não convivem com a realidade das comunidades. (O jogo) passou a pior imagem possível e tenta instigar uma ideia de guerra (...) Eu achei que a ação é exagerada. Ela simula mais uma guerra do que uma ação policial. Não fica claro pra quem está jogando qual o objetivo daquela ação, enquanto que, na ação policial, os policiais têm objetivo”, explicou.
 

xigaaano

New Member
Registrado
Cara.. na boa.. concordo com tudo q o delegado falou! E no contexto doq ele falou, nao importa a historia do jogo..

cara nesse seu ultimo quote ai, ela fala do objetivo do policial, ai pergunto objetivo policial não é o mesmo do jogo?O jogo é de guerra ou de operação tatica policial? Ela jogou uma fase do jogo nem chegou no final da fase e esta falando que não tem objetivo e o jogo é fora do contexto, eu não joguei muitas fases dele, mas aparecem outras cidades inclusive se não me engano a fase depois do rio é nos estados unidos, será q o jogo retrata a realidade de lá?
 

blakill

New Member
Registrado
a fase do rio na favela nao pode,
a fase do aeroporto na russia tb nao pode,
daq a pouco o afeganistao e a cia de petroleo vai falar que nao pode essas fases no jogo tb;
vamos jogar teletube gente!


va toma
 

Forsaken_BA

Pesquisador
Registrado
Na verdade ela ficou chateadinha pq não viu ainda o projeto do Fifa World Cup 2016 e do Mario e Sonic Olimpic Games no Rio.:lol:
 
Última edição:

lndnfsu2

Active Member
Registrado
Cara.. na boa.. concordo com tudo q o delegado falou! E no contexto doq ele falou, nao importa a historia do jogo..

so tem que lembrar que o jogo eh da serie Call Of Duty que trada sobre Guerras e nao SWAT que envolve operacoes taticas especiais
 

Zinho Megaman Z

You Got: Head shot!!!
Como sempre, é só colocar o Brasil num game americano que começa o falso moralismo. Pior ainda, falar que COD é um jogo de táticas policiais, essa foi dose! Eles só veêm o video do game, nem jogam de fato, mas adoram abrir a boca pra falar besteira. Ela está certa quando disse que o jogo não retrata a realidade, bem ou mal a situação ainda não chegou ao ponto de terem que enviar forças especiais americanas pra caçar terrorista escondido na favela, mas aposto que isso não demora pra acontecer... Aliás, chega a ser engraçado ver ela falando sobre o armamento usado pelo jogador, que de fato não tem nada a ver com o nosso, exatamente por não ser o nosso oras! Só no Brazil mesmo...
 

Usuários que está vendo este tópico

Topo