Jogo passa 'a pior imagem possível' do Rio, diz delegada sobre Call of Duty 2

vini_xD

New Member
Registrado
Jogo passa 'a pior imagem possível' do Rio, diz delegada sobre Call of Duty 2
Game tem fase que se passa dentro de uma comunidade carioca.
"O que vemos dentro da favela é que existe vida", diz Helen Sardenberg.

Não é novidade que o Rio de Janeiro entrou no mundo dos jogos eletrônicos como o cenário de combates sangrentos entre criminosos e policiais. Mas no game "Call of Duty: modern warfare 2", um dos jogos mais badalados do momento, a fase que se passa dentro de uma favela carioca tem provocado polêmica. Para quem convive diretamente com a realidade das comunidades, houve exagero ao retratar a violência nestas regiões.


Veja ao lado vídeo com depoimento da delegada


G1 testou o jogo. Confira


"Quando se associa o Rio de Janeiro, principalmente a imagem do Cristo Redentor, com a imagem estereotipada da favela, num primeiro momento, para quem não conhece a realidade, pode parecer sim. Mas o que vemos dentro da favela é que existe vida, e o jogo não mostra isso" disse a delegada titular Helen Sardenberg, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) do Rio de Janeiro.


Na fase que mostra a favela carioca, os "mocinhos" têm que encontrar um terrorista que está escondido entre os becos e vielas que circundam milhares de barracos de uma favela. Para a delegada, apesar de a violência fazer parte do cotidiano dos moradores destas regiões, não há semelhança entre as operações policiais e as cenas produzidas pelo jogo.



"Eu acredito que o jogo foi criado por pessoas que não convivem com a realidade das comunidades. (O jogo) passou a pior imagem possível e tenta instigar uma ideia de guerra (...) Eu achei que a ação é exagerada. Ela simula mais uma guerra do que uma ação policial. Não fica claro pra quem está jogando qual o objetivo daquela ação, enquanto que, na ação policial, os policiais têm objetivo", explicou.
Ela ressalta que um dos principais "erros" do jogo são as armas usadas pelos protagonistas do jogo. "A gente vê no jogo utilização de granadas, o que não se usa, por causa do potencial lesivo. Com relação a outros tipos de armas, eu posso dizer que são armas poderosas, que são utilizadas em situação de exceção, e não de regra".


E conclui: "O jogo estimula no jogador uma imagem de que todo aquele tipo de arma é necessária para o confronto, quando não. Num primeiro momento, nós temos que trabalhar com armas não letais, com mediação".

Guerra em casa

A grande imersão proporcionada por alguns jogos de videogame da atualidade os coloca níveis acima de outras produções culturais como filmes e músicas e transforma o título em um padrão a ser seguido por toda a indústria. A realidade que o game "Call of duty: modern warfare 2" consegue apresentar é tanta que, por meio dos gráficos e do som ininterrupto dos tiros, o jogador se sente dentro de uma verdadeira zona de combate.

O título, desenvolvido pela Infinity Ward e produzido pela Activision, é a sequência direta do primeiro "Modern warfare", lançado em 2007, que conta a história de um grupo de soldados americanos contra terroristas russos.



O game é de tiro em primeira pessoa, ou seja, o jogador enxerga pelos olhos do personagem, com a arma utilizada em primeiro plano. A guerra fictícia retratada apresenta muita violência, tornando o jogo não recomendado para menores de 17 anos nos Estados Unidos. No Brasil, o jogo ainda não tem classificação indicativa definida.


A Activision também quis trazer polêmica para o game. Entre as mais de 10 horas de jogo do modo "campanha", além de enfrentar traficantes no Rio de Janeiro, o jogador viajará para combater milícias em territórios como o Afeganistão e terá que participar de um terrível ataque terrorista em um aeroporto russo. Contudo, para não ofender boa parte de seu público, há uma opção no início do game que desabilita missões como essas e conteúdo mais ofensivo como excesso de sangue, por exemplo.



LINK:

http://g1.globo.com/Noticias/Games/0,,MUL1...L+OF+DUTY.html#

------
A proposta da reportagem era criticar o jogo...
Velha sindrome de vira-lata do Brasileiro... gringo não pode falar do Brasil, jamais... só nós mesmos podemos xingar o presidente, e chamar os outros de lixo...
Ou alguem acha que ela chamou a imprensa pra falar isso ?
E se não me engano, o jogo se passa no futuro, e mais que tudo, é uma obra de ficção...
Imagine se um dia sai um GTA tendo como cenário o Rio de Janeiro e / ou São Paulo... ia ser demais ver essas materias da globo sobre o assunto...
Jogo sobre guerra deveria mostrar o que? Agora todo mundo reclama quando aparece um RJ em um game...
Até um tempo atrás reclamavam que o Brasil não era cenário de nenhum jogo . . .
Poderiam ficar preocupados com saude, educação , mas decidiram vim fala porcaria dos jogos.
o MW2 aqui, e é praticamente a mesma coisa do Rio mesmo, Tiros, bandidos.
Só falta quererem censurar o MW2, que nem fizeram com o Counter-Strike por causa do mapa cs_rio, que foi feito por um brasileiro.
Nem devem ter visto a cut-scene, o objetivo é capturar um terrorista, e ainda, escrevem errado o nome do jogo, call of duty 2 se passa na segunda guerra mundial, call of duty Modern warfare 2 se passa atualmente e é ficção.
Ela queria que o jogo mostrasse a bondade das favelas, pessoas se ajudando e cantando musicas de maos dadas... é uma hipocrisia tremenda uma delegada falar isso...
 

CaioCP

New Member
Registrado
O jogo mostra que existe uma milícia usando até uniforme com boinas dentro da favela...que escroto isso.

Mas não passa de um jogo, ficar comparando imagem virtual com imagem real não é a questão mais certa.
 

Savino

New Member
Registrado
Alguem avisa para essa mulher que é UM JOGO e não um retrato preciso da realidade!
 

kozima

New Member
Registrado
haiuhauihaiuhaiu
ela queria o que do jogo?
é um FPS porra
todas as fases são 100% tiroteio,só porque é no RIO tinha que ser diferente?
 
Última edição:

Soro

Banido
Banido
Isso ai não passa de demagogia barata dessa delegada querendo se dar bem na comunidade onde a base dela está locada.

Puro blábláblá pseudo-sociológico.

Além do mais, o RJ é um lixo mesmo, as favelas são mini faixas de Gaza, e a realidade é MUITO PIOR que a ficção, pois pessoas morrem de verdade todos os dias, sem chance de restart.
 

Fins

Active Member
Registrado
Só aqui no rj pessoas morrem todo dia né?

Boa garotao.
Isso ai não passa de demagogia barata dessa delegada querendo se dar bem na comunidade onde a base dela está locada.

Puro blábláblá pseudo-sociológico.

Além do mais, o RJ é um lixo mesmo, as favelas são mini faixas de Gaza, e a realidade é MUITO PIOR que a ficção, pois pessoas morrem de verdade todos os dias, sem chance de restart.
 

natanmm

New Member
Registrado
e so um jogo e eu achei q ficou otimo(em relaçao ao jogo xD) os carinhas falam portuges "ele me deu um tirro,vo t\ca uma granada,me da cobertura,xD" o jogo ficou muito bom mais acho isso um exagero querer comparar com vida real, e ela so esta pensando no brasil poxa e os outros lugares do jogo que ignorancia.
 

Toth

Mad User
Registrado
Como eu disse no mesmo post que está em outra seção, não podemos confundir uma obra de ficção com algo que retrata a realidade. Assim como temos um jogo em que parte se passa no RJ, temos milhares que se passam em outros lugares que não retratam eles como eles são e nem por isso vemos pessoas vomitando criticas absurdas por aí (ou vemos...).
 

JapanSide

New Member
Registrado
Delegada??
Tanta coisa pra ela se preocupar com as comunidades como assim e chamado ela vai querer se preocupar com um jogo?
 

Leandro

Safra 2004
Registrado
Já imaginava ler asneira, e de fato, li asneira.
 

.alone.

Usuário Registrado
Dentro do mesmo tema, ja resolveram o problema dos macacos para que o Homer possa voltar ao brazil?

brasileiros e seu Patriotismo Romantizado.
 

M4IN

F.O.D.A-S.E.
Registrado
Isso ai não passa de demagogia barata dessa delegada querendo se dar bem na comunidade onde a base dela está locada.

Puro blábláblá pseudo-sociológico.

Além do mais, o RJ é um lixo mesmo, as favelas são mini faixas de Gaza, e a realidade é MUITO PIOR que a ficção, pois pessoas morrem de verdade todos os dias, sem chance de restart.

hAUiahiuaAaI

Você está totalmente certo.
.
.
O jogo até que mostra uma milícia organizada, com boinas e uniformes, e os bandidos falando corretamente. Além do mais, não se vê no jogo os traficantes decapitando as pessoas, nem mesmo queimando-as dentro de pneus de caminhão.
.
.
A equação com a Faixa de Gaza faz todo o sentido. Existem locais no RJ que quem manda é o tráfico, e só entra/sai quem eles querem. As duas únicas diferenças estão onde aplicam a fé, e no fato de que traficante precisa estar vivo para continuar no comando, senão eles poriam bombas no corpo e se explodiriam com "meio-mundo" de gente.
.
.
O Marcola aqui em São Paulo disse que ia fechar a cidade, e fechou! Virou uma espécie de feriadão. Fernandinho Beira-Mar disse que comandaria o tráfico de dentro da prisão, e controlou. Quando os traficantes mandam fechar um morro, os caras fecham mesmo. Não abre escola, farmácia, supermercado, nada! Nem a polícia entra.
.
.
Daí aparece a imagem do BOPE tentando subir o morro com fuzis e carros blindados usados em guerras de nações. E vem essa delegada de ***** dizer que não é como o jogo mostra. E não é mesmo, é muito PIOR!
.
.
Viram a roupa da delegada? Toda elegante. É sinal de que ela não atua em campo, vive no seu gabinete climatizado dentro da delegacia; vai pra sua casa longe das favelas dentro de um carro e escoltada por policiais.
.
.
Desse jeito, a guerra sempre estará longe de ser uma gravidade.
 
Última edição:

BerBer

New Member
Registrado
Então quer dizer que Need For Speed MW deve ser proibido pelos EUA pq não tem carros de pega rodando a cidade toda odia inteiro? ou talvez que GTA SA fosse proibido pq em san andreas a criminalidade na cidade é tao grande? A delegada queria um jogo de tiro mostrasse a bondade na favela, os favelados tocando pagode e comendo marmita?

O jogo não foi feito baseado na realidade, isso não tem nada a ver... se fosse assim, 90% dos jogos não poderia mais ser vendidos por nao retratarem a realidade.
 

Motta Bako

The wheelman
Registrado
BerBer

Driver parallel lines também deve ser proibido, se passa em NY, e de verdade não existe um cara de 18 anos que vai preso por 28 anos e depois, com 46 anos, continua robando e matando :p
e também, não tem a estátua da liberdade!!!!!!! PROIBAM JÁ!

ela que não quer enxergar a favela!!!!

porque o rio tem tanto assassinato e essas coisas de drogas? FAVELA!
porque a praia de jaguaruna em Santa catarina, é quase impossível alguém roubar? FAVELA NON ECSISTE
infelizmente, é verdade
 

ZANATTA

Rust is not crime !
Registrado
eh isso que as pessoas de fora pensam do Brasil
depois tem gente que diz [ oo vao criar um cenario do Brasil num jogo -.- ]
 
B

BioHazard

Guest
deixa chegar os jogos no rio... ela vai ver o tanto de gringo sendo assaltado kkkkkkkk

vai ser mt mais legal assistir pela tv o tiroteio do que jogar qq fps....
 

AcesHigh

Testando...
Registrado
Acho q todos os Call of Duty deviam ser proibidos. Eles não passam uma imagem clara da realidade da 2a Guerra Mundial por exemplo. Os soldados lutam sem parar, vc mata milhares de alemães praticamente sozinho. Vc não pode pular cercas e segue um caminho pré determinado! NADA REAL!!


é muita bobagem, essa patriotada ridicula tem mais é q ir pro inferno mesmo.l
 

Safsprin

Não use dorgas
Registrado
Alguem avisa para essa mulher que é UM JOGO e não um retrato preciso da realidade!²
 

cubhanno

AprendendoMuitoComOMundo
Registrado
Ela precisa cair na realidade!
 

Mamanel RJ

I'm Gamer
Registrado
Ela ao invés de ir trabalhar, fica criticando o game, ninguem vai sair da tela e matar alguem.
Vai prender bandido de verdade que é melhor, afinal ela recebe pra isso, e não pra ficar falando mal de jogo.....
 

shura89

Die monster you don't belong in this world
Registrado
Na verdade o Call Of Dutty,nem mostro tudo o que realmente acontece
se aquela fase do massacre do aeroporto,ja deu polêmica imagina se eles
fizessem ah fase do Rio,com o que realmente acontece no Rio ai sim esse jogo
ia ter uma grande polêmica!!!
 

GuiZaunZiN

Powered by Mafia chimp...
Registrado
É q ela não jogou o HawX, senão ia falar um monte pelo fato de terem usado o RJ como palco de Guerra
 

Mumm-Ra

Look at my Reindeer
Registrado
mimimimimimimi
 

Splinter™

Usuário Master
Registrado
Olóc mey, deixaram os hipócritas jogarem
 

PDA

Moar !
Registrado
É q ela não jogou o HawX, senão ia falar um monte pelo fato de terem usado o RJ como palco de Guerra

com o hawx ela nao ia implicar pq ali era ficcao, os avioes passavam pelas favelas e nao eram derrubados.....


falando serio pra mim essa palhaça quer chamar atencao.... os estados unidos sao palco de guerras ? NAO ! mas sempre tem um jogo de guerra se passando la.... modern warfare levou a guerra ate pra plataformas...pq ela tb nao fala disso ???? aquela fase NO RUSSIAN , eu nao fiquei com medo de visista aeroportos russos depois daquilo....

se uma delegada nao consegue discernir entre um jogo e a realidade , os superiores dela deviam reavaliar a posicao dela na policia e coloca-la como guarda de transito.... e nunca deixarem ela ver o GTA.

tantos crimes pra resolver ou locais pra fazer patrulha e a imbecil implicando com um jogo de videogame....que qualquer um sabe que é ficção.
 

Usuários que está vendo este tópico

Topo