O que está acontecendo com as ações e dólar

Folk

Nobody expects the Spanish Inquisition
Registrado
que legal... aumenta taxa de juros em um momento tão pujante de economia, aonde as certeza econômicas são concretas.

É cada decisão sem o menor cabimento.

Para lockdown o mercado está fraco, para selic tem aquecimento no consumo, é um bando de perdidos.
Já deu pra ver que tu não entendeu nem o básico do pq subiu.

Em uma situação precária igual atual, manter a taxa de juros baixa so continuaria matando o país...
 

Gazza4x

Banido
Banido
O consenso é esse mesmo, entre 0,25 e 0,5.

Se a minha ideia de o Guedes ter mantido o dolar alto pra pegar SWAP estiver certa, a selic tem que aumentar no minimo 0,75% numa pancada pra o mercado se mexer.

Acertei! Acho que so não puxaram 1% inteiro para o mercado precificar logo o aumento e aliviar os DI's.

Espero um aumento de +0,5% na proxima reunião. Eu diria entre 0,25 (que seria mais correto, talvez) ou 0,5% pra forçar ainda mais a pressão nos comprados USD/BRL. Eu escolheria um aumento de 0,5%.

Se isso acontecer, o Guedes foi estrategista sangue frio e vai render uma bolada ao BC.


Hoje o dolar abriu em alta (bateu quase 5,70 e virou para queda após o FED manter a taxa de juros mesmo com inflação acima da meta e com uma projeção de crescimento do PIB bem maior que o esperado.
 
Última edição:

TheKingGamerBr

Coach de Fracasso
Registrado
Se isso acontecer, o Guedes foi estrategista sangue frio e vai render uma bolada ao BC.

Aí ele vai sair de um fdp master pra um gênio numa tacada só? :haha:
 

piccolino

New Member
Registrado
Minha bola de cristal falhou (apostei num aumento de 0,50% na selic) mas fiquei feliz com o meu erro :)

Acho que mais do que o percentual dos juros, o que mais me animou foi a demonstração ou melhor, a confirmação de independência do BC.
Tecnicamente a decisão está correto, mas se olharmos pela ótica da política é totalmente "nonsense" aumentar o juros com desemprego em alta, estagnação econômica e no meio de uma pandemia.

Por isso eu compreendo a reação por exemplo do Wagx... se olharmos pela ótica puramente política sem considerarmos a parte técnica realmente causa estranhamento a decisão do BC.
 

Folk

Nobody expects the Spanish Inquisition
Registrado
Minha bola de cristal falhou (apostei num aumento de 0,50% na selic) mas fiquei feliz com o meu erro :)

Acho que mais do que o percentual dos juros, o que mais me animou foi a demonstração ou melhor, a confirmação de independência do BC.
Tecnicamente a decisão está correto, mas se olharmos pela ótica da política é totalmente "nonsense" aumentar o juros com desemprego em alta, estagnação econômica e no meio de uma pandemia.

Por isso eu compreendo a reação por exemplo do Wagx... se olharmos pela ótica puramente política sem considerarmos a parte técnica realmente causa estranhamento a decisão do BC.
Sim, se for pensar no ponto de vista de alguém que não compreendeu a parte técnica, é natural achar que juros vai ser só influenciável para manobras desse ímpeto. Mas acho que chegamos a um ponto que se deixasse a situação daquela maneira, veríamos dolar bater 7-8 num futuro não tao distante; e aí não tem volta mais.
 

piccolino

New Member
Registrado
Sim, se for pensar no ponto de vista de alguém que não compreendeu a parte técnica, é natural achar que juros vai ser só influenciável para manobras desse ímpeto. Mas acho que chegamos a um ponto que se deixasse a situação daquela maneira, veríamos dolar bater 7-8 num futuro não tao distante; e aí não tem volta mais.
Concordo plenamente :joia:
Eu só comentei porque tenho vários amigo(a)s que ficam indignados pois são ignorantes nessa parte mais técnica economicamente falando e desconhecem que os juros é uma das ferramentas que o BC tem para tentar controlar a inflação e consequentemente o cambio.
 

nando3d

Member
Registrado
Acertei! Acho que so não puxaram 1% inteiro para o mercado precificar logo o aumento e aliviar os DI's.

Espero um aumento de +0,5% na proxima reunião. Eu diria entre 0,25 (que seria mais correto, talvez) ou 0,5% pra forçar ainda mais a pressão nos comprados USD/BRL. Eu escolheria um aumento de 0,5%.

Se isso acontecer, o Guedes foi estrategista sangue frio e vai render uma bolada ao BC.


Hoje o dolar abriu em alta (bateu quase 5,70 e virou para queda após o FED manter a taxa de juros mesmo com inflação acima da meta e com uma projeção de crescimento do PIB bem maior que o esperado.

Se importaria de explicar essa estratégia?
 

Arris

c:
Registrado
Acertei! Acho que so não puxaram 1% inteiro para o mercado precificar logo o aumento e aliviar os DI's.

Espero um aumento de +0,5% na proxima reunião. Eu diria entre 0,25 (que seria mais correto, talvez) ou 0,5% pra forçar ainda mais a pressão nos comprados USD/BRL. Eu escolheria um aumento de 0,5%.

Se isso acontecer, o Guedes foi estrategista sangue frio e vai render uma bolada ao BC.


Hoje o dolar abriu em alta (bateu quase 5,70 e virou para queda após o FED manter a taxa de juros mesmo com inflação acima da meta e com uma projeção de crescimento do PIB bem maior que o esperado.
É facil ser sangue frio com o dinheiro dos outros :sefu:
 

Arris

c:
Registrado
dolinha caindo abaixo de 5,50, será que até o fim da semana que vem bate 3,50 :yellow:
 

Wagx

Celebre a VIDA!
Banido


A mão invisível tá muito safadinha. Especulação é como dizem . :sefu:


Uma das grandes fortunas ocultas do mundo evapora em poucos dias​

Meia dúzia de bancos e fundos de investimentos perdem bilhões depois de respaldar obscuros investimentos na Archegos


 

brender

Member
Registrado
 

Tiago Flanker

New Member
Registrado
Porque ele não tem que prestar contas ou pagar se fizer besteira. Vai ver se gerentes de grandes fundos privados de investimentos podem fazer mal gasto de dinheiro dos clientes. Ou é demitido ou é "passado".
Que nada, o presidente cria a pasta do ministério do conflito de interesses e põe ele lá, em qualquer função que seja, próximo:
--- Post duplo é unido automaticamente: ---

Não
 

brender

Member
Registrado
Netflix dos investimentos chegou


Todos os detalhes resumidos abaixo

O Primo Rico lança a Finclass, a ‘Netflix’ de educação financeira
Objetivo do "streaming" é melhorar a educação financeira no país


Fonte:


Buscando caminhos para entregar conteúdo de qualidade e acessível, Thiago Nigro anuncia o maior serviço de streaming do setor

O evento contou com holografia, lasers e telão, ferramentas que davam visibilidade ao propósito do novo serviço de streaming: disseminar a educação financeira no Brasil.

Gravadas em 4K e com conteúdo desenvolvido pensando na experiência do usuário, as aulas abordarão temas atuais, como renda fixa, renda variável, alocação de portfólio, fundos, criptomoedas e finanças públicas.

Os cursos serão ministrados via plataforma proprietária e contarão com um sistema exclusivo de trilhas que permitirão que o assinante, independente do seu nível de conhecimento, saiba quais conteúdos deve assistir. Toda semana, novos conteúdos serão publicados.

De acordo com Thiago Nigro, idealizador do projeto, a meta do Grupo Primo é empoderar as pessoas para que possam investir com mais segurança e maior rentabilidade.

“Enquanto a assinatura estiver vigente, o aluno possui acesso completo a todo o conteúdo da plataforma, demandando somente um computador ou um celular para acessá-lo. Até o fim de 2022, nossa meta é atingir 1 milhão de alunos”, destaca.

Além das aulas, a plataforma ainda conta com documentários exclusivos, chamados de FinDocs – o primeiro será a História do Dinheiro, com Yuval Harari, autor de Sapiens, Uma breve história da humanidade – , e os FinBooks, onde grandes nomes do mercado comentam sobre livros emblemáticos do mercado.

Uma curadoria que promete selecionar sempre os melhores profissionais e o melhor conteúdo para quem quer entender mais de finanças pessoais e investimentos.

Além das aulas com os principais nomes da economia, das finanças e do comportamento, há outras duas categorias para os assinantes. A Findocs vai apresentar documentários da vida real – o primeiro será a História do Dinheiro, com Yuval Harari, autor do livro Sapines, uma breve história da humanidade – e a Finbooks, que terá os livros de finanças analisados e comentados por grandes personagens de mercado.

Todos os cursos foram gravados em 8K, qualidade máxima disponível para vídeos atualmente. Serão 3 tipos de conteúdo disponibilizados no novo curso lançado, sendo:
  • Finclasses - Vídeos com os maiores nomes do mercado financeiro;
  • Findocs - Documentários originais feitos pelo Grupo Primo;
  • Finbooks: Livros icônicos do mercado financeiro, incluindo o livro do Primo Rico, do Mil ao Milhão.
A Finclass inclui acesso a um catálogo de aulas ministradas pelos melhores do mundo no ramo em diversas áreas do mercado financeiro e também do empreendedorismo.

Segundo o grupo, cada Finclass terá de 10 a 20 aulas com duração média de 10 minutos, juntamente com um livro digital de exercícios aprofundado. Ainda, haverá acesso aos aplicativos no smartphone e possibilidade de assistir aulas off-line.

Fazem parte da Finclass atualmente os seguintes nomes:

  • Yuval Harari - Historiador Israelense;
  • Martin Escobari - Co-presidente da General Atlantic;
  • Thiago Nigro - Dono do Grupo Primo;
  • Guilherme Benchimol - CEO da XP;
  • Florian Bartunek - Criador do fundo Constellation, que administra mais de R$ 18 bilhões;
  • Luciana Seabra - CEO da Spiti;
  • Maurício Bittencourt - dono da gestora VELT;
  • Howards Marks - um dos maiores gestores e investidores

Veja como foi o evento de lançamento da Finclass:

 

Folk

Nobody expects the Spanish Inquisition
Registrado
2021 e tem gente que segue primo rico? :poker:
 

Empreendedor89

New Member
Registrado
Netflix dos investimentos chegou


Todos os detalhes resumidos abaixo

O Primo Rico lança a Finclass, a ‘Netflix’ de educação financeira
Objetivo do "streaming" é melhorar a educação financeira no país


Fonte:


Buscando caminhos para entregar conteúdo de qualidade e acessível, Thiago Nigro anuncia o maior serviço de streaming do setor

O evento contou com holografia, lasers e telão, ferramentas que davam visibilidade ao propósito do novo serviço de streaming: disseminar a educação financeira no Brasil.

Gravadas em 4K e com conteúdo desenvolvido pensando na experiência do usuário, as aulas abordarão temas atuais, como renda fixa, renda variável, alocação de portfólio, fundos, criptomoedas e finanças públicas.

Os cursos serão ministrados via plataforma proprietária e contarão com um sistema exclusivo de trilhas que permitirão que o assinante, independente do seu nível de conhecimento, saiba quais conteúdos deve assistir. Toda semana, novos conteúdos serão publicados.

De acordo com Thiago Nigro, idealizador do projeto, a meta do Grupo Primo é empoderar as pessoas para que possam investir com mais segurança e maior rentabilidade.

“Enquanto a assinatura estiver vigente, o aluno possui acesso completo a todo o conteúdo da plataforma, demandando somente um computador ou um celular para acessá-lo. Até o fim de 2022, nossa meta é atingir 1 milhão de alunos”, destaca.

Além das aulas, a plataforma ainda conta com documentários exclusivos, chamados de FinDocs – o primeiro será a História do Dinheiro, com Yuval Harari, autor de Sapiens, Uma breve história da humanidade – , e os FinBooks, onde grandes nomes do mercado comentam sobre livros emblemáticos do mercado.

Uma curadoria que promete selecionar sempre os melhores profissionais e o melhor conteúdo para quem quer entender mais de finanças pessoais e investimentos.

Além das aulas com os principais nomes da economia, das finanças e do comportamento, há outras duas categorias para os assinantes. A Findocs vai apresentar documentários da vida real – o primeiro será a História do Dinheiro, com Yuval Harari, autor do livro Sapines, uma breve história da humanidade – e a Finbooks, que terá os livros de finanças analisados e comentados por grandes personagens de mercado.

Todos os cursos foram gravados em 8K, qualidade máxima disponível para vídeos atualmente. Serão 3 tipos de conteúdo disponibilizados no novo curso lançado, sendo:
  • Finclasses - Vídeos com os maiores nomes do mercado financeiro;
  • Findocs - Documentários originais feitos pelo Grupo Primo;
  • Finbooks: Livros icônicos do mercado financeiro, incluindo o livro do Primo Rico, do Mil ao Milhão.
A Finclass inclui acesso a um catálogo de aulas ministradas pelos melhores do mundo no ramo em diversas áreas do mercado financeiro e também do empreendedorismo.

Segundo o grupo, cada Finclass terá de 10 a 20 aulas com duração média de 10 minutos, juntamente com um livro digital de exercícios aprofundado. Ainda, haverá acesso aos aplicativos no smartphone e possibilidade de assistir aulas off-line.

Fazem parte da Finclass atualmente os seguintes nomes:

  • Yuval Harari - Historiador Israelense;
  • Martin Escobari - Co-presidente da General Atlantic;
  • Thiago Nigro - Dono do Grupo Primo;
  • Guilherme Benchimol - CEO da XP;
  • Florian Bartunek - Criador do fundo Constellation, que administra mais de R$ 18 bilhões;
  • Luciana Seabra - CEO da Spiti;
  • Maurício Bittencourt - dono da gestora VELT;
  • Howards Marks - um dos maiores gestores e investidores

Veja como foi o evento de lançamento da Finclass:

Se ele continuar nesse ritmo ele realmente chegará ao Bilhão. Enquanto isso eu perdi o bonde, pois sou uma pessoa com tanto conhecimento quanto ele em termos de finanças, mas não tive a competência pra fazer o que ele fez.
 

Folk

Nobody expects the Spanish Inquisition
Registrado

Youkou

New Member
Registrado
Sobre o primo rico.. Nunca comprei nenhum dos conteúdos pagos (cursos e tals) então sobre esses não posso falar.

Porém alguns vídeos que ele posta no youtube realmente são informativos. Outros são propaganda disfarçada de informação. Outros é apenas o mesmo do mesmo de finanças.

É obvio que de boa parte da fortuna que ele fez, a maior parte do capital veio da venda de cursos "ensinando a ficar rico com investimentos" sendo que ele mesmo não ficou rico com investimentos. Porém, parte do conteúdo que ele faz pode ser útil sim, e pra muita gente.

Acho irônico todo esse hate em relação aos youtubers de finanças.. Vindo de uma sociedade que assiste e idealiza pastor de igreja, participante de bb, politico, jogador de futebol e pseudo-celebridades do twitch e onlyfans..
 
Última edição:

piccolino

New Member
Registrado
O desafio hoje não é ter acesso as informações pois está tudo disponível ao alcance de um simples click... o X da questão é saber filtrar corretamente essas informações para transforma-las em conhecimento.

Peguemos por exemplo o site Infomoney, tem informações relevantes lá mas não podemos esquecer jamais que a proprietária é uma corretora, ou seja, algumas notícias são de certa forma "tendenciosas" e cabe ao leitor saber distinguir e filtrar.

Isso ocorre com o Primo Rico assim como com todos os famosos "influenciadores digitais" que mesclam informações relevantes com notícias/propagandas dos patrocinadores travestido de informação.
 

CassinhOFF

Active Member
Registrado
O desafio hoje não é ter acesso as informações pois está tudo disponível ao alcance de um simples click... o X da questão é saber filtrar corretamente essas informações para transforma-las em conhecimento.

Peguemos por exemplo o site Infomoney, tem informações relevantes lá mas não podemos esquecer jamais que a proprietária é uma corretora, ou seja, algumas notícias são de certa forma "tendenciosas" e cabe ao leitor saber distinguir e filtrar.

Isso ocorre com o Primo Rico assim como com todos os famosos "influenciadores digitais" que mesclam informações relevantes com notícias/propagandas dos patrocinadores travestido de informação.
O sujeito que sabe filtrar as coisas certas nesse mundão de informações fáceis que temos por ai vindo de diversos meios no final se da muito bem.
 

sonic pestinha

Origin : SonicPestinha
Registrado
Sobre o primo rico.. Nunca comprei nenhum dos conteúdos pagos (cursos e tals) então sobre esses não posso falar.

Porém alguns vídeos que ele posta no youtube realmente são informativos. Outros são propaganda disfarçada de informação. Outros é apenas o mesmo do mesmo de finanças.

É obvio que de boa parte da fortuna que ele fez, a maior parte do capital veio da venda de cursos "ensinando a ficar rico com investimentos" sendo que ele mesmo não ficou rico com investimentos. Porém, parte do conteúdo que ele faz pode ser útil sim, e pra muita gente.

Acho irônico todo esse hate em relação aos youtubers de finanças.. Vindo de uma sociedade que assiste e idealiza pastor de igreja, participante de bb, politico, jogador de futebol e pseudo-celebridades do twitch e onlyfans..
Hoje youtubers estão ganhando muito, quem consegue relevância, claro. Se pensar qual investimento traria mais retorno que o youtube? Não entendo porque o Hate, ele optou por algo que estava sendo mais lucrativa, do que ações ou algum fundo de investimento.
Vi pouco conteúdo dele, para analisar tecnicamente se é bom. O que eu vi eram coisas mais subjetivos, sobre a mentalidade de quem ganha dinheiro e etc.
 

jakers

New Member
Registrado
Galera alg consegue me esclarecer uma duvida?

Dia 31/03 eu fiz uma operação na EASYIVEST...um "day trade".

Comprei R$ 500 em ações e vendi no mesmo dia qnd subiu, foi a 1x que comprei ações.

Pelo que pesquisei eu tenho que pagar 20% de imposto sobre o rendimento, segundo a easyinvest 1% eles já retém na fonte os demais 19% eu preciso ir atrás (https://ajuda.easynvest.com.br/hc/pt-br/articles/115005063213-Como-funciona-IR-para-Day-Trade-)

No caso eu pesquisei na net e vi que o pagamento é feito no site da receita, Sicalc.

Fiz o procedimento aqui, usei o código 6015 e filtrei pelo mês que fiz a operação porem não apareceu nenhum imposto a ser pago.

E ai como faz?
 

Usuários que está vendo este tópico

Topo