Plano nacional de banda larga. Lula o receberá dia 24.

não quero um nome

New Member
Registrado
O assessor especial da presidência da República e coordenador do Comitê de Inclusão Digital do governo, Cezar Alvarez, falou nesta segunda, 16, no seminário "Alternativas para o desenvolvimento da infraestrutura de acesso em banda larga", promovido pelo Ipea e pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da presidência da República. Alguns aspectos da fala de Alvarez chamam a atenção: a ênfase no uso da expressão massificação, e não universalização da banda larga; a ênfase na importância da parceria com as empresas privadas; a reafirmação de que a infraestrutura de fibra-óptica pertencente a estatais deverá ser usada; e o estabelecimento de um fórum permanente de discussão do tema.

Alvarez informou que na próxima terça, dia 24, às 15:30, a proposta do Plano Nacional de Banda Larga será discutida com o presidente Lula. Alguns aspectos parecem estar definidos, contudo. Segundo Alvarez, a ideia é articular, em conjunto com as empresas, a construção da infraestrutura que permitirá a massificação da banda larga. Ele reiterou uma percepção já manifestada durante o Painel Telebrasil de que a banda larga no Brasil é "cara, lenta, concentrada e limitada", e para corrigir esse cenário não se pode abrir mão dos 21 mil km de redes públicas de fibra óptica. "A rede da Eletronet será usada para isso e não para destruir mercados. É um ativo em discussão. Se será usada para a construção e manutenção dos três aneis e extensão do backbone onde o mercado não chega com a presteza e qualidade necessárias, são hipóteses que estarão disponíveis para o forum permanente com as empresas incumbents e autorizadas", disse Alvarez.

O governo, disse Alvarez, quer colaboração e parceria com as empresa sde telecomunicações, e diz que não há nenhuma resistência em discutir questões tributárias, mas ressaltou que "essa não é a única causa do preço da banda larga". O governo também sinalizou que espera disposição de compartilhamento e abertura das redes e disse que essas questões todas serão permanentemente discutidas em um fórum que terá entre os participantes empresas, o próprio governo, entidades de sociedade civil etc.


Fonte: http://www.teletime.com.br/News.aspx?ID=155576

----------------------------

Bem, EU estou entusiasmado com o que li, parece que sairá algo bom disso, no Brasil já tem uma porrada de provedores via rádio que tem que pegar link de umas bOi da vida, se elas tiverem uma estrutura melhor e de fibra ótica será muuuuito melhor e muuuito bom, só queria saber quasi velocidades ou sujeitos pretendem vender
 

coiote

New Member
Registrado
olha, a solução no brasil vai demorar mais um poucão ainda... digo isso porque nunca vi/ouvi/li nada que justificasse a existencia da Anatel ... consumidor só tem procom mesmo pra defendê-lo, e olhe lá !

Pior ainda é que o governo está implementando a nota fiscal eletrônica , o que obrigará os estabelecimentos comerciais à terem acesso à internet para poderem lançar as notas de venda no site da receita federal ... Piada isso , pra conseguir um telefone já é briga , banda larga ainda .........

O governo se espelha muito em projetos de países de 1º mundo , mas esquece que aqui ainda é 3º submundo/sub-administrado...
 

Pennant

Preciso reaprender
Registrado
O governo se espelha muito em projetos de países de 1º mundo , mas esquece que aqui ainda é 3º submundo/sub-administrado...

Nem é isso, o governo se espelha em países do primeiro mundo, mas esquece que temos 60% de impostos, o preço do produto no final quase dobra, armários ópticos entre outras coisas são caros e ficam ainda mais caros com isso.
 

Usuários que está vendo este tópico

Topo