Vida após a vida

Soro

Banido
Banido
Passa de meia-noite. Preciso descansar para começar mais uma semana de trabalho.

Por isso não vou me estender. Não vou pesquisar, copiar, recortar, colar.

Não vou relacionar referências, autores, datas, frases.

Não vou nem tentar recuperar qualquer corrente filosófica ou científica que aborde esse assunto.

O mundo inteiro discutiu, discute, e vai continunar discuntindo a vida, a morte, e a possibilidade da continuidade após esta.

Há muitos anos atrás a revista Crescer da Globo estampou na capa uma barriga radiografada onde dois fetos gemeos conversavam:

– Você acredita em vida após o parto?

O segundo respondia:

– Não sei. Nunca ninguém voltou para contar...

Esse é um assunto que me divide em 3.

De um lado a racionalidade diz que morreu, morreu, acabou.

No meio o Cristianismo, do qual sou apreciador, diz que morreu, morreu, até o dia do juizo final, quando então poderá ser ressucitado.

E de outro lado o que me parece mais coerente, mas foge ao senso comum, foge à ciência e contradiz o Cristianismo, temos o Espiritísmo, que diz que morrer é apenas um processo para passarmos para outro mundo, assim como nascer é um processo para virmos para esse.

Diferente dos bebes, que não voltam à barriga da mãe, espíritos voltam, e muitos voltaram para falar com mestres como Chico Xavier, que deixou mais de 460 livros psicografados, alguns deles, do célebre André Luiz, descrevendo o lado de lá como sendo praticamente igual ao lado de cá.

Você acredita nisso? Gostaria de acreditar? Vê sentido nisso?

Eu vou dormir. Até sei mais ou menos como serão alguns dos comentários que vou encontrar aqui amanhã. Peço que respeitem o tópico, se respeitem como seres humanos, e tragam material.

Existe muito material, seja filosófico, religioso, científico, experimental, investigativo, etc. Se agirmos com respeito mútuo poderemos, mesmo discordando, ter um interessante debate (certamente inconclusivo) sobre um dos temas mais tratados por toda a humanidade durante toda sua história.
 

Splinter™

Usuário Master
Registrado
Tem também quem diga que a pessoa reencarna em algum animal, bicho.
 

Cloridrico

Banido
Banido
Tem também quem diga que a pessoa reencarna em algum animal, bicho.

conheço corrente espirita, isso é contradiçao...
o ser tende a evoluir, ou seja, um ser humano ja pode ter sido um animal, por exemplo, cachorro, porem ele nao regride na etapa evolutiva :thumbs_up
 

Pennant

Preciso reaprender
Registrado
Meu velho, eu acredito no seguinte

Morreu, agente vive nosso subconsciente, nosso corpo perde a energia pra manter agente vivo mas nossas mentes nunca morrem.

Mas acredito também na volta, ou seja reencarnação, principalmente porque tem gente que nasce com o DOM, dom de alguém do passado provavelmente, como minha ex-chefe de cozinha que aos 3 anos quem cortava o bolo de aniversário era ela já e aos 7 cozinhava muito melhor que qualquer membro da familia, aos 18 anos virou chefe de cozinha especializada em diversas culinárias do mundo sendo que ela só precisa ler a receita pra faze-la corretamente, é um negócio incrível, e ela tem hoje uns 22 anos.
 

M0Z4R7.3D

Banido
Banido
:eek: Eu não vejo contradição entre Cristianismo e a continuidade da vida, o espírito tem lá sua continuidade, ela pode ter um tempão beeeeem maior do que da vida física, mas também não é ainda a Eterna, os espíritos do Chico Xavier são 'mortos', digo, desencarnados, eles vão 'ressucitar' ainda, aí sim para a vida Eterna, esta somente depois do Julgamento final.
Espero ter respondido.
 

TT

mister pessimister
Registrado
É muito doloroso imaginar que tudo que vivemos, tudo que criamos, tudo que contruimos pode estar sendo feito por nada.

Vivemos momentos intensos de felicidade e de raiva para que no fim uma tampa seja colocada sobre nosso corpo. Criamos nossos filhos com amor, dedicação, acertando e errando para que no fim, nós e eles, sejamos colocados em um buraco de sete palmos de profundidade. Construimos nossa família, nossa carreira, nosso imperio ou ruina financeira, para que no fim pás de terra sejam jogadas sobre tudo isso.

Saber que pessoas amadas como nossos pais, nossos filhos, nossos irmãos, nossos amigos tão próximos, que possuem os mesmos desejos e medos que nos mesmos temos, que riem, que choram, que pensam em coisas ruins e boas, exatamente como eu e você, vão deixar de existir.

Deixar de exisitir.

Simples assim.

Isso doi.

Mas, ou seja para o bem da alma, ou para o bem do ego, devemos trilhar a estrada específica dessa duvida como bois em uma trilha estreita. Sem olhar para frente, sem se procupar com o que ver pelos lados ou por tras. Com as cabeças baixas, marchando e vivendo.

Se na frente ouver um penhasco, caimos e fim da história. Pois todos estão nessa trilha.

Se na frente uma ponte nos levar para outro lado, realmente isso é um problema, ou solução, apenas para ser discutido quando chegarmos lá.

Eu, pessoalmente, acredito que tudo isso (ressurreição, almas, outra vida, vida eterna...) foi criado pele homem apenas. Pura incapacidade para lidar com o fim.
 

Soro

Banido
Banido
:eek: Eu não vejo contradição entre Cristianismo e a continuidade da vida, o espírito tem lá sua continuidade, ela pode ter um tempão beeeeem maior do que da vida física, mas também não é ainda a Eterna, os espíritos do Chico Xavier são 'mortos', digo, desencarnados, eles vão 'ressucitar' ainda, aí sim para a vida Eterna, esta somente depois do Julgamento final.
Espero ter respondido.

Mas o que o é Cristianismo afinal, se não um Judaismo que deu certo? Afinal, a vinda do Messias era prevista, e Jesus preenche todos os requisitos.

Sem querer entrar no mérito dos judeus aceitarem ou não a vinda de Jesus como o Messias, eu quero dizer que o Cristianismo, assim como sua receita original, o Judaismo, não aceita a reencarnação, e ponto final.

Eu consigo sim ver equivalência entre o amor cristão e a caridade pregada pelo Espiritismo, mas são doutrinas diferentes, onde a primeira não aceita a segunda e ponto final.

No Cristianismo você morre, ta morto. Vai ficar em sono eterno até o dia do Juizo Final. Não existe evolução, reencarnação, e que espíritos são tidos apenas como demônios, seja o verniz do bem ou do mal.

Quem fala com espíritos, está contradizendo o Cristianismo em sua essência.

Agora, no que eu creio? Não sei exatamente.

Eu tendo a acreditar em algo mais universal, que abrace várias religiões, idéias, filosofias, mas toda a minha experiência sobrenatural, que é o que me conduziu a essa crença, teve seus ápices, seus momentos mais contudentes, dentro de uma igreja cristã.

Por isso eu fico dividido entre o Cristianismo ortodoxo e o Cristianismo liberal, esse onde o Espiritismo até encontra seu espaço.

Eu vejo sentido em muita coisa pela otica do Espiritismo que não consigo enxergar através do Cristianismo.

Sinceridade? Eu tenho um pouco de receio de me envolver.

Tenho medo de mexer com o que está quieto, mexer com algo ruim.

Minha fé em Deus é muito boa pra mim. Eu me sinto bem com ela. Por outro lado a curiosidade sobre o "lado de lá" é grande, e o Cristianismo não me permite conhecer, pelo menos não enquanto estiver do lado de cá.
 

M0Z4R7.3D

Banido
Banido
Mas o que o é Cristianismo afinal, se não um Judaismo que deu certo? Afinal, a vinda do Messias era prevista, e Jesus preenche todos os requisitos.

Sem querer entrar no mérito dos judeus aceitarem ou não a vinda de Jesus como o Messias, eu quero dizer que o Cristianismo, assim como sua receita original, o Judaismo, não aceita a reencarnação, e ponto final.

Eu consigo sim ver equivalência entre o amor cristão e a caridade pregada pelo Espiritismo, mas são doutrinas diferentes, onde a primeira não aceita a segunda e ponto final.

No Cristianismo você morre, ta morto. Vai ficar em sono eterno até o dia do Juizo Final. Não existe evolução, reencarnação, e que espíritos são tidos apenas como demônios, seja o verniz do bem ou do mal.

Quem fala com espíritos, está contradizendo o Cristianismo em sua essência.

Agora, no que eu creio? Não sei exatamente.

Eu tendo a acreditar em algo mais universal, que abrace várias religiões, idéias, filosofias, mas toda a minha experiência sobrenatural, que é o que me conduziu a essa crença, teve seus ápices, seus momentos mais contudentes, dentro de uma igreja cristã.

Por isso eu fico dividido entre o Cristianismo ortodoxo e o Cristianismo liberal, esse onde o Espiritismo até encontra seu espaço.

Eu vejo sentido em muita coisa pela otica do Espiritismo que não consigo enxergar através do Cristianismo.

Sinceridade? Eu tenho um pouco de receio de me envolver.

Tenho medo de mexer com o que está quieto, mexer com algo ruim.

Minha fé em Deus é muito boa pra mim. Eu me sinto bem com ela. Por outro lado a curiosidade sobre o "lado de lá" é grande, e o Cristianismo não me permite conhecer, pelo menos não enquanto estiver do lado de cá.

Bom, eu concordo Soro, mas também nem tanto...:slap:, ká entre nós eu nunca vi um fantasma bonzinho, sempre são malvados e furiosos, bem que eu queria rever amigos ou familiares já desencarnados, mas prefiro acreditar que já estejam na vida perfeita e plena de felicidade do outro lado, o que vc não entende por exemplo é que para 'nós' eles vão reencarnar, mas para eles ou já estão ou jamais estarão porque a Eternidade não tem um 'tempo' de espera se é que vc me entende, não há futuro e nem passado, é algo que não podemos definir ou mensurar dentro de palavras, podemos fazer um paralelo com sentimentos nobres, como o amor no coração, coisas citadas com relação a entes queridos, mas eles 'lá' já estão no nível superior ou 'pela eternidade' já perderam a alma...eu não sou religioso no sentido de ser um sacerdote, nem quero levantar flames, mas posso garantir que há muito que não entendemos, se temos contatos com espíritos que desencarnaram doentes, por acidentes horrendos ou coisas assim e que por alguma luz resolveram trazer mensagens, isso ainda não é a eternidade porque ainda está cristalizado dentro da dimensão 'tempo', só tem um jeito de chegar à compreensão do que vc deseja conhecer: experimentando, mas não tema porque não há problema, encare esse estágio como um fragmento dentro da eternidade enquanto dure...huahuahuahua....:p
 

Raziel7766

New Member
Registrado
Boa tarde,
Carl Gustav Jung relata, dizendo que o mundo natural se comporta como psiquico e não psiquico simultaneamente apesar da consciência similar uma coisa por vez quando habilitada a fazer estas observações.Em suma o Universo da consciência se transforma depois da morte , mas no entanto , expandido seu estado de consciência que relatarei abaixo poderá através do seu ser imortal (o verdadeiro espírito que "governa , ou melhor dizendo , conduz" a sua alma dotada de certo grau de liberdade concedida pela volição), o inconsciente. colocar conteúdos de memórias passadas.

Primeiro você tem que saber diferenciar a psique, A psique é o “eixo do mundo”.é uma estrutura desconhecida na sua profunda natureza , mas que no entanto ela possui as seguintes componentes já identificada segundo a psicologia de Jung que superou Freud. A consciência e o inconsciente.O mundo do fenômeno observável é o mundo da consciência, mas a consciência se limita a percepções axiomáticas sensoriais provenientes do inconsciente , ou seja, não interessa quantos aparelhos desenvolveste para estudar o mundo dos fenômenos e tentá-lo compreendê-lo em seus fundamentos , há um limite para a consciência captar as interações , porque na sua profundeza são tautológicas para a consciência . o efeito de massa é percebido pela consciência , mas seus fundamentos estarão no inconsciente nos saber absoluto , o que eu posso dizer segundo minha opinião é que os cosmos é um sistema integrado de psiques , inclusive teu inconsciente é um universo integrado ao Universo da consciência , caro senhores , o que eu quero dizer é que os cosmos incluindo universos paralelos , é um todo psiquico, o espírito é energia axiomática interligadas que formam as componentes de teus eus , ou seja, os vários seres (estruturas vivas do inconsciência) que associam na tua alma pura que são os complexos, enquanto os sonhos são complexos autônomos , a realidade percebida pela consciência é um complexo solidamente constituído , é o mundo dos fenômenos.A porta de entrada para outros universos é os complexos e os sonhos, assim “alcanças triangulando a mente” e conseguinte observar o saber absoluto os universos integrados , que residem na inconsciência (o saber absoluto).E para mais surpresas a psique está fora e dentro do corpo , o próprio mundo natural se comporta como psiquico e não psiquico ao mesmo tempo e mais interessante há uma possibilidade de integração da consciência a participar do espírito que percebe e que gerencia o teu eu verdadeiro eu , "digamos fora do espelho", ou como os antigos filósofos diziam o Deus ex machina

Como diz um dos maiores cientistas da mente humana ,C.G.Jung:
"
Mas não é de todo certo se isto interrompe a continuidade do processo psíquico, porque hoje em dia não se pode afirmar a ligação da psique com o cérebro (pesquisas recentes fora outras: link do vídeo abaixo Universo holográficos), com tanta certeza quanto há cinqüenta anos. Primeiro que tudo, a Psicologia precisa ainda de digerir certos fatos parapsicológicos, o que não fez até agora. Quer dizer, parece que a psique inconsciente possui qualidades que projetam uma luz inteiramente singular sobre sua relação com o espaço e o tempo. Refiro-me aos fenômenos telepáticos espaciais e temporais que, como sabemos, é mais fácil ignorar do que explicar. Sob este aspecto, a
Ciência até agora escolheu (com bem poucas exceções) o caminho mais cômodo, que é o de ignorá-los.Devo, porém, confessar que as chamadas capacidades telepáticas me causaram muita dor de cabeça,porque a palavra-chave "telepatia" longe está de explicar o que quer que seja. A limitação da consciência no tempo e no espaço é uma realidade tão avassaladora, que qualquer desvio desta verdade fundamental é um acontecimento da mais alta significação teórica, pois provaria que a limitação no tempo e no espaço é uma determinante que pode ser anulada. O fator anulador seria a psique, porque o atributo espaço-tempo ligar-se-ia a ela, conseqüentemente, no máximo como qualidade relativa e condicionada. Em determinadas circunstâncias, contudo, ela poderia romper a barreira do tempo e do espaço, precisamente por causa de uma qualidade que lhe é essencial, ou seja, sua natureza transespacial e transtemporal. Esta possibilidade de transcender o tempo e o espaço, que me parece muito lógica, é de tão grande alcance, que estimularia o espírito de pesquisa ao maior esforço possível. O desenvolvimento atual de nossa consciência, contudo, está tão atrasado (as exceções confirmam a regra!) que, em geral, nos falta ainda o instrumental científico e intelectual para avaliar adequadamente os fatos da telepatia quanto à sua importância para o conhecimento da natureza da psique. Refiro-me a este grupo de fenômenos, simplesmente para indicar que a ligação da psique com o cérebro, isto é, sua limitação no espaço e no
tempo, não é tão evidente nem tão indiscutível como até agora nos têm feito acreditar. Quem conhece, um mínimo que seja, o material parapsicológico já existente e suficientemente testado, sabe muito bem que os chamados fenômenos telepáticos são fatos inegáveis. Um exame crítico e objetivo dos dados disponíveis nos permite verificar que algumas dessas percepções ocorrem de tal maneira, como se não existisse o fator espaço, e outras como se não houvesse o fator tempo.(...)
As idéias e as dúvidas de nossos físicos modernos devem aconselhar aos psicólogos a serem prudentes, porque, o que significa, filosoficamente falando, a "limitação do espaço" senão uma relativização da categoria espaço?continua na seguinte obra:A natureza da psique

Alcançar o inconsciente a tua parte imortal para se comunicar com ele é um processo denominada na psicologia de individuação, é a integração dos conteúdos do inconsciente na consciência , a unificação que é representado pelo símbolo do self. Culmina necessariamente no processo de desenvolvimento que é peculiar à psique e consiste na integração dos conteúdos capazes de se tornarem conscientes. Isto significa que o ser humano psíquico se torna um todo, e este fato traz conseqüências notáveis para a consciência do ego, que são extremamente difíceis de descrever. Duvido da possibilidade de expor adequadamente as mudanças que se verificam no sujeito sob o influxo do processo de individuação, pois se trata de uma ocorrência mais ou menos rara," só experimentada por aqueles que passaram pelo confronto" — fastidioso, mas indispensável para a integração do inconsciente — com as componentes inconscientes da personalidade. Quando as partes inconscientes da personalidade se tornam conscientes, produz-se não só uma assimilação delas à personalidade do ego, anteriormente existente, como sobretudo uma transformação desta última. A grande dificuldade está justamente em descrever a maneira como se dá esta transformação. De modo geral, o ego é um complexo fortemente estruturado que, por estar fortemente ligado à consciência e à sua continuidade, não pode nem deve ser facilmente alterado, sob pena de enfrentar sérias perturbações patológicas. Esta integração consiste em irrupções mais ou menos violentas de conteúdos inconscientes na consciência, mostrando-se o ego incapaz de assimilar os intrusos. Se, porém, a estrutura do complexo do ego é bastante forte para resistir ao assalto dos conteúdos inconscientes, sem que se afrouxe desastrosamente sua contextura, a assimilação pode ocorrer. Mas, neste caso, há uma alteração não só dos conteúdos inconscientes, mas também do ego. Embora ele se mostre capaz de preservar sua estrutura, o ego é como que arrancado de sua posição central e dominante, passando, assim, ao papel de um observador passivo a quem faltam os meios necessários para impor sua vontade em qualquer circunstância, o que acontece não tanto porque a vontade se acha enfraquecida em si mesma, quanto, sobretudo, porque certas considerações a paralisam. Quer dizer, o ego não pode deixar de descobrir que o afluxo dos conteúdos inconscientes vitaliza e enriquece a personalidade e cria uma figura que ultrapassa de algum modo o ego em extensão e em intensidade. Esta experiência paralisa uma vontade por demais egocêntrica e convence o ego de que, apesar de todas as dificuldades, é sempre melhor recuar para um segundo lugar, do que se empenhar em combate sem esperança, o qual termina invariavelmente em derrota. Deste modo a vontade enquanto energia disponível se submete paulatinamente ao fator mais forte, isto é, à nova figura da totalidade que eu chamei de self.Naturalmente, nestas circunstâncias existe a máxima tentação de seguir simplesmente o instinto de poder e identificar o ego, sem mais nem menos, com o self, para alimentar assim a ilusão de um domínio do ego. Em outros casos o ego se revela fraco demais para opor a necessária resistência ao afluxo dos conteúdos inconscientes e é, conseqüentemente, assimilado pelo inconsciente, o que dá origem a um enfraquecimento e obscurecimento da consciência do ego, a uma identificação deste com uma totalidade inconsciente.ela. Com efeito, o self só tem um significado funcional quando pode atuar como compensação da consciência do ego. Em outros termos: quando o ego se dissolve, identificando-se com o self, o resultado é uma espécie de vago super-homem, com um ego inflado e um self deflacionadoQualquer que seja o modo de proceder de semelhante personagem: aquele de um salvador ou o de um portador de desgraças, falta-lhe aquela scintilla, a centelha da alma, aquela pequena parcela de luz divina nunca brilha com tanta força, senão quando tem de se opor às arremetidas das trevas. O que seria do arcoíris, se por detrás dele não houvesse uma nuvem escura?
Minha intenção, com esta imagem, é lembrar que as analogias patológicas do processo de individuação não são as únicas. Na história do pensamento humano existem documentos de natureza totalmente diversa, que são ilustrações positivas de nosso processo. Eu gostaria, sobretudo, de mencionar os koans do Zen-budismo que, justamente por seu caráter paradoxal, iluminam, como um repentino jorro
de luz, as relações quase impenetráveis entre o ego e o self. São João da Cruz descreve o mesmo problema sob a figura da "noite escura da alma", numa linguagem inteiramente diversa e bem mais acessível à mente ocidental. O fato de sermos obrigados a buscar analogias, de um lado, no âmbito da psicopatologia e, do outro, no âmbito da mística tanto oriental como ocidental, é uma decorrência natural:
o processo de individuação é, psiquicamente, um fenômeno-limite que necessita de condições especiais para se tornar consciente. Talvez seja a primeira etapa do caminho de uma longa evolução que deve ser percorrida por uma humanidade futura (em uma nova era)e que, transformando-se em desvio patológico, por enquanto havia conduzido a Europa para uma catástrofe.(C.G.Jung)

Em suma é um assunto complexo, mas continuemos
O cosmos é um todo Psiquico(PSIQUE)."O mundo do fenômeno é o mundo do pensamento.(consciência)" , o mundo de natureza transespacial, transtemporal é percebido pelo inconsciente que deposita conteúdos na consciência.
Com a conscientização dos conteúdos inconscientes, nós, de certo modo, criamos o SI MESMO(DEUS relativizando na "psique" de cada um para transformar mediante tua própria energia), e nesse sentido ele é também nosso filho.

Faz uma simples analogia , tu sonhas, no sonho se ele for energizado tu tens quase que as “mesmas” sensações da realidade. Agora imaginas ai chupando limão, ou concentra e imagina água gelada concentra, dependendo do nível de concentração tu desenvolves sensações próxima da realidade mas com baixa energia a ponto de "emular" só no pensamento o objeto, sem alcançar no entanto o todo esplendor da energia original (real). Por isso creio eu que Jung afirmou que a realidade é um complexo solidamente constituído e sonhos são complexo autônomos de uma dimensão subjacente psíquica inconsciente e misteriosa.Então se tu alcanças alto nível de energia seguindo esta linha de raciocínio tu terias condições de criar mundo eis ai uma criança divina aprendendo a criar mundo e nós o "produto" da criança divina de uma psique superior altamente energisada. E vamos mais além , quando tu ficas encabulado com a imensidão do universo, achas que é impossível gerenciar isso tudo , só que Jung dizia através de suas pesquisas que a psique é o único mecanismo natural antigravitacional , transespacial , transtemporal ou seja, em determinadas circunstâncias, contudo, ela poderia romper a barreira do tempo e do espaço ou seja anulando o conceito consciente de distância , abrindo telas como no pensamento em uma cachoeira agora, e isso precisamente
por causa desta qualidade que lhe é essencial, ou seja, sua natureza transespacial e transtemporal., vamos criar uma simples analogia , lembras que nossa consciência tem pouca energia perto do inconsciente e sobre tudo da psique , agora imaginas ai exatamente a primeira vez que tu teves uma relação sexual lembrarás dos afetos, das emoções e sensações instantaneamente porém com baixa energia, eis ai uma forma de viajar no tempo instantaneamente com baixa energia ,ou seja, o pensamento a psique é uma forma de viajar no espaço e tempo instantaneamente anulando estas variáveis.Entendo eu que somos sistemas unificados de psiques dentro de uma psique superior, pois o espaço e tempo se relativizaria em cada psique, e se formos evoluídos, ou seja a nossa mente atingir novas atributos como (telepatia,etc) está em diferentes lugares ao mesmo tempo e conseguir gerenciar isso em espécie de sistemas paralelos já que a variável tempo estaria em controle ou até mesmo anulada ,seria possível viagens espaciais por este método em alta energia e de fato poderíamos viver mundos com todo teu esplendor e até mesmo criar mundos.
Agora um material não mais científico , saindo do verificável que eu relatei através dos estudado de C.G.JUNG e entrando em uma área desconhecida que não sei até que ponto tem credibilidade "documento que achei na internet" > mas tem algo interessante ("ficção") aqui: http://svmmvmbonvm.org/quartadim.pdf

Eis Jung:
"A natureza da psique mergulha em obscuridades, para além dos limites de nossas categorias intelectuais. A alma encerra tantos mistérios quanto o mundo com seus sistemas de galáxias diante de cujas majestosas configurações só um espírito desprovido de imaginação é capaz de negar suas próprias insuficiências. Esta extrema incerteza da compreensão humana nos mostra que o estardalhaço
iluminista é não somente ridículo, como também lamentavelmente estúpido. Se alguém, portanto, extraísse da necessidade do próprio coração, ou da concordância com as lições da antiga sabedoria da humanidade, ou do fato psicológico de que ocorrem percepções "telepáticas", a conclusão de que a psique participa, em suas camadas mais profundas, de uma forma de existência transespacial e transtemporal e que, por conseqüência, pertence àquilo que inadequada e simbolicamente é designado pelo nome de "eternidade", o único argumento que a razão crítica lhe poderia opor seria o non liquet [não está provado] da Ciência. Tal pessoa, além disso, possuiria a inestimável vantagem de estar de acordo com uma inclinação presente na psique humana desde tempos imemoriais e universalmente existente. Quem por ceticismo, rebeldia contra a tradição, falta de coragem ou insuficiente experiência psicológica ou ignorância cega não extrai esta conclusão, tem muito pouca chance, estatisticamente falando, de ser um pioneiro do espírito, embora esteja firmemente certo de entrar em conflito com as verdades do próprio sangue. No fundo, jamais conseguiremos provar que tais verdades sejam ou não absolutas. É suficiente, porém, que elas existam como inclinações da psique, e sabemos demais o que seja entrar levianamente em choque com essas "verdades". Equivale à negação consciente dos instintos, isto é, a um desenraizamento, a uma desorientação, à falta de sentido da existência, ou que outros nomes possam ter estes sintomas de inferioridade."

Mais uma coisa interessante que "sai" do tema , lembras energia escura distancia, gravidade aproxima (matéria escura).e lembres que partículas são virtuais, e se o cosmo é um todo psiquico , agora leia...
Jung diz:
"A consciência, portanto, pode ser muito bem entendida como um estado de associação como eu. Mas o ponto crítico é o eu. Que entendemos por eu? Apesar da aparente unidade do eu, trata-se evidentemente de um fator altamente compósito e variado, constituído de imagens provindas das funções sensoriais que transmitem os estímulos tanto de dentro como de fora; consiste igualmente em um imenso
aglomerado de imagens resultantes de processos anteriores. Todas estas componentes sumamente variadas necessitam de um fator dotado de forte poder de coesão, qualidade esta que já identificamos na consciência. Por isto, parece-me que a consciência é o requisito essencial para o eu. Mas sem o eu, é impossível pensar em consciência. Esta aparente contradição se resolve, se considerarmos o eu como o reflexo, não de um só, mas de muitos e variados processos e suas interações, ou seja, daqueles processos e conteúdos que compõem a consciência do eu. A sua diversidade forma realmente uma unidade porque a sua relação com a consciência atua como uma espécie de força gravitacional, atraindo as várias partes na direção daquilo que poderíamos chamar de centro virtual.

Complemento http://www.youtube.com/watch?v=1F6_RWmLL…
Nota: Complexo: conjunto de representação ou idéias estruturadas e caracterizadas por forte impregnação emocional , total ou parcialmente reprimidas e que determinam as atitudes de um indivíduo , seu comportamento , seus sonhos, etc

Um dos métodos para entender isso na condição humana é limpar os vórtices afinal a energia necessária tem que vim de algum "lugar" (http://www.unintel.net/Volume-I/Imagens/… (que misteriosamente foram desativados) e acionar os chakras.
De certo modo , dá para lidar de forma científica, quem fez isso , além de outros de forma científica como tu queres foi C.G.Jung
Tu deverás aprender a conversar com ele o inconsciente o seu "avatar", aconselho a obra O Homem e seus símbolos Google
e mais "o mundo natural se comporta como psíquico e não psíquico ao mesmo tempo"Carl Gustav Jung

Obras

Devido à metodologia usada por Jung, seus escritos costumam ser de leitura difícil e penosa. É recomendável iniciar por algum de seus comentadores, como Nise da Silveira (Jung: vida e obra) e Aniela Jaffe (Memórias, sonhos e reflexões de C. C. Jung). Sobre este, um comentário.

Eis abaixo, a lista das obras de Jung, publicadas em português no Brasil:
A Energia Psíquica.
A Prática da Psicoterapia.
A Vida Simbólica: Escritos Diversos.
Ab-reação, análise dos sonhos, transferência.
Aion: Estudos sobre o Simbolismo do Si-mesmo.
Cartas de Carl Gustav Jung.
Consideraciones Sobre la Historia Actual (ainda não traduzido para língua portuguesa).
Escritos Diversos.
Estudos Alquímicos.
Estudos Experimentais Vol. II.
Estudos Experimentais.
Estudos Psiquiátricos.
Eu e o Inconsciente.
Freud e a Psicanálise.
Interpretação Psicológica do Dogma da Trindade.
Memórias, Sonhos e Reflexões. Autobiografia escrita em conjunto com Aniela Jaffé.
Misterium Coniunctionis 1.
Misterium Coniunctionis 2.
Misterium Coniunctionis 3.
O Desenvolvimento da Personalidade.
O Homem e seus Símbolos. Obra para leigos, organizada por Jung e escrita por ele e seus colaboradores, com artigos de Aniella Jaffé, Marie-Louise fon Franz e outros.
O Segredo da Flor de Ouro: Um Livro de Vida Chinesa.
Os Arquétipos e o Inconsciente Coletivo.
Presente e Futuro.
Psicologia da Religião Ocidental e Oriental.
Psicologia do Inconsciente.
Psicologia e Alquimia.
Psicologia e Religião Oriental.
Psicologia e Religião.
Símbolo da Transformação na Missa.
Símbolos da Transformação: Análise dos Prelúdios de uma Esquizofrenia.
Sincronicidade.
Tipos Psicológicos.
A natureza da psique.

Isso de forma científica como tu queres.
Mas O hindu vai ao extremo nisso.

Eu tinha essa posição Kantiana anteriormente , mas ouve progressos em meus estudos , existe sim, uma maneira de perceber a coisa em si,C.G Jung conseguiu fazer isso e constatou nos fenômenos parapsicológicos e psicofísicos, percepção extra sensorial na área de psiquiatria e psicologia.O dom que faz isso dentre os 7 chakras é o terceiro olho.Tente buscar um mestre e verás o mundo na "terceira visão." uma dimensão diferente é mostrada a você.

O físico Erwin Schrödinger, no epílogo do seu livro "O Que é a Vida?", fez uma inferência interessante, a partir de um postulado simples: "EU sou a pessoa - se é que existe alguma - que controla o movimento dos átomos, de acordo com as Leis da Natureza." Sim, porque você não é a soma de seus átomos (em apenas um ano 98% de seus átomos são trocados por outros!) e, assim, também não pode ser seu cérebro. Acreditava-se também que o cérebro funcionasse como a CPU (processador) dos computadores, de forma rígida e mecanicista, mas ele também é inteligente, no sentido de procurar rotas neuronais alternativas para cumprir a função que ficou prejudicada, e novos neurônios estão nascendo o tempo todo, ao contrário do que acreditavam os cientistas até alguns anos atrás. Aliás, sobre esse assunto, quando o escritor espiritual (e ex-médico) André Luiz nos fala da estreita relação existente entre os neurônios e o perispírito no livro "Evolução em dois mundos" cap. IX, ele escreve algo que pode ser interpretado dubiamente: "Os neurônios nascem e se renovam, milhões de vezes, no plano físico e no plano extrafísico, na estruturação de cérebros experimentais, com mais vivos e mais amplos ingredientes do corpo espiritual, quando em função nos tecidos físicos, até que se ergam em unidades morfológicas definitivas do sistema nervoso". Estaria ele falando da gênese de um sistema nervoso definitivo, ou da contínua evolução de suas unidades no decorrer da vida? Gostaria que estudiosos desse de André Luiz colaborassem nesse tópico.

Ainda assim, nós não somos nossos neurônios. Então, o que somos? Onde está nossa alma? O filósofo René Descartes defendia a tese de ela estaria na glândula pineal, e explica:
"A razão que me leva a crer seja essa glândula a sede da alma é não encontrar, em todo o cérebro, nenhuma outra parte que não seja dupla. Ora, não vendo senão uma única cousa com os dois olhos, não ouvindo senão um mesmo som com os dois ouvidos, e, enfim, não tendo nunca senão um pensamento ao mesmo tempo, é absolutamente necessário que as impressões, que nos chegam através dos olhos, dos ouvidos, etc., se unam em alguma parte do corpo para serem aí consideradas pela alma. (...) Ora, não podemos encontrar nenhuma outra nestas condições, em toda a cabeça, senão a glândula pineal, que se acha, além do mais na situação mais adequada para esse fim, isto é, no meio, entre todas as concavidades, sustentada e cercada por pequenas ramificações das carótidas, que trazem os espíritos ao cérebro."

Alma na pineal? Já imaginou o toda a essência humana contida numa glândula do tamanho de um feijão? Passemos adiante, ainda no campo da filosofia, desta vez espírita, na questão 146 de O Livro dos Espíritos:
"A alma tem, no corpo, uma sede determinada e circunscrita?
— Não. Mas ela se situa mais particularmente na cabeça, entre os grandes gênios e todos aqueles que usam bastante o pensamento e no coração dos que sentem bastante, dedicando todas as suas ações à Humanidade."

Ou seja, até possui uma área de influência maior no corpo em certas áreas de interesse do espírito. Mas daí a se situar no corpo vai longe...

Só que a pineal teima em aparecer em outras culturas, com grande importância: Na filosofia hindu, o sexto chakra, Ajna, está localizado um pouco acima dos olhos, entre as sobrancelhas (ponto conhecido como bhrumadhya). É simbolizado por um olho - o tão falado "terceiro olho" - que seria o olho da mente. Quando este chakra é estimulado e desenvolvido, ou seja, quando o olho é "aberto" através de mantras e meditações, é revelada uma nova dimensão da realidade para o praticante, foi exposto aqui de certo o modo o limite ou próximo a barreira do limite do nosso conhecimento.
Continuação deste trecho: http://www.saindodamatrix.com.br/archive…

http://pt.shvoong.com/books/128996-despe…

Complemento de vídeos estão no final que podem servir para o racional entender por analogia o irracional que em suma no seu esplendor só é alcançado pelos sentir e pela capacidade de expandir a percepção da consciência integrando ela a psique abrindo o Chakras ou limpado.Jung considera-os também centros de consciência: "uma espécie de graduação de consciência que vai desde a região do períneo até o topo da cabeça" (Fundamentos de Psicologia Analítica, Vozes, 1972, p. 26). Miguel Serrano registrou uma conversa tida com Jung sobre os chakras: "Os chakras, diz Jung, são centros da consciência e Kundalini, a Serpente Ígnea, que dorme na base da coluna vertebral, é uma corrente emocional que une de baixo para cima e também de cima para baixo" (O Circulo Hermético - Hermann Hesse a C. G. Jung, Ed. Brasiliense, 1970, p. 71).


E reafirmou na conversação: "Os chakras são centros de consciência. Os inferiores são centros de consciência animal. Existem outros centros ainda abaixo do Muladhara" (p. 72).


Este ponto de vista também foi sustentado em um seminário (Hauers Seminar. Psychological comentary by C. G. Jung, Zurich, 1932, exemplar datilografado, Bíblíthéque de Jung - cit., por Pierre Weil, Mística do Sexo, E. Itatiaia, pp. 104/105 e 113). Jung observa que na história da humanidade, o centro da consciência sofreu variações e, ainda agora, existem tribos, como dos Pueblos, que situam no coração o centro de consciência. (Fundamentos, pp. 06 e 07). Os ensinamentos esotéricos também indicam que as várias raças-mãe desenvolveram determinados centros preferentemente (Coquet, op. cit., pp. 35/37).


Jung (cit. por Pierre Weil, Mística do Sexo, pp 104/105), interpreta estes vários centros assinalando o grau de consciência de cada um deles:



Centro fundamental - mundo dos instintos - consciente.


Centro sacro - entrada no inconsciente - novo nascimento - batismo.


Centro umbilical - emoções - paixões - o inferno.


Centro cardíaco - começo do self - sentimento - pensamento e valores. Individuação.


Centro laríngeo - reconhecimento da independência da psique - pensamento abstrato - conceitos - produtos da imaginação.


Centro frontal - união do self no todo, não no ego.


Centro coronário - nirvana.



A referência aos chakras como centros de consciência permite-nos entender uma passagem de O Livro dos Espíritos, aparentemente defasada no tempo, mesmo na época de sua recepção.


No item 146, Allan Kardec registrou o ensinamento dos Espíritos sobre a sede da alma:


"146. A alma tem, no corpo, sede determinada e circunscrita?


- Não; porém, nos grandes gênios, em todos os que pensam muito, ela reside mais particularmente na cabeça, ao passo que ocupa principalmente o coração naqueles que muito sentem e cujas ações têm todas por objeto a humanidade.

a) Que se deve pensar da opinião dos que situam a alma num centro vital?


- Quer isso dizer que o Espírito habita de preferência essa parte do organismo, por ser aí o ponto de convergência de todas as sensações. Os que a situam no que consideram o centro da vitalidade, esses a confundem com o fluído ou princípio vital. Pode, todavia, dizer-se que a sede da alma se encontra especialmente nos órgãos que servem para as manifestações intelectuais e morais."


Naturalmente que, do ponto de vista físico, na época de Kardec já se considerava o cérebro como a sede do pensamento, pelo que não havia razão para referência ao coração, como sede da alma, nem à outra parte do organismo físico. A referência, portanto, era aos chakras localizados à altura do coração ou à altura do cérebro, com suas ligações correspondentes, centros de ligação preponderante da alma ao corpo físico.


Segundo André Luiz, as três regiões fundamentais no processo de liberação da alma (e conseqüentemente de ligação do perispírito ao corpo físico) são: "o centro vegetativo ligado ao ventre, como sede das manifestações fisiológicas; o centro emocional, zona dos sentimentos e desejos, sediado no tórax; e o centro mental, mais importante por excelência, situado no cérebro." (Obreiros de Vida Eterna, FEB, 1956, p. 210). Isto significa que o perispírito está mais ligado a determinadas regiões.


Anota Alice Bailey que na humanidade comum o centro laríngeo está começando a despertar (Jung dizia que o europeu pensa pela garganta, Miguel Serrano, op. cit., p. 71), enquanto os centros cardíaco e coronário dormem. Mas, "no ser humano altamente evoluído, no líder da raça, o filósofo intuitivo e o cientista, assim como nos grandes santos, o centro coronário e o cardíaco começam a fazer sentir sua vibração; determina-se a prioridade do coronário e do cardíaco pelo tipo de pessoa e pela qualidade de consciência emocional e mental." (El alma y su mecanismo, Kier, B. Aires, 1967, pp. 110/1).

A observação coincide com o ensino constante do Item 146 de O Livro dos Espíritos, lembrando que este terceiro olho é uma porta + - , junto com os outros 6 sendo o principal o topo da cabeça (o famoso arco simbólico no topo da cabeça dos santos , que indica uma forte energia que fica fluindo nesta região)e este estado de consciência foi misteriosamente sendo dasativado...Eis o mistério.Inclusive a psique do mundo se chama anima mundi(inconsciente impessoal) Jung que está sendo maltratada e existe uma intríseca relação conosco coletivamente.Aconselho ver todos os vídeos deste canal eu inclusive fiz algumas perguntas a ele , depois de ter dois Chakras aberto.
http://www.youtube.com/watch?v=PWrzV4dmj3U





 
Última edição:

WillKhan

Jogador Registrado
Registrado
Interessante esse assunto. É justamente por existir a morte, q se justifica a existência das religiões. Sim, pois se todos fôssemos imortais é pouco provável q elas existissem. Admitindo isso, quero crer q algo (seja oq for) acontece após a morte, caso contrário seria a maior "propaganda enganosa" da história. Mas como não nos é possível provar (pelo menos ainda) a veracidade ou falsidade disso, entra a fé na conversa. Que por definição, não é lógico e racional, está apenas no campo do "querer acreditar".
 

Red Rabbit

New Member
Registrado
Tem também quem diga que a pessoa reencarna em algum animal, bicho.
conheço corrente espirita, isso é contradiçao...
o ser tende a evoluir, ou seja, um ser humano ja pode ter sido um animal, por exemplo, cachorro, porem ele nao regride na etapa evolutiva :thumbs_up
Não amigo, isso é outra contradição que alguns escritores espiritualistas - que se dizem Espíritas - escrevem para mistificar o Espíritismo; outro ponto é que muitas pessoas interpretam mal quando ler esse assunto nos livros Espíritas e acabam se confudindo; é comum também vc ver muitos espíritas se contradizerem por falta de estudos.

No Espiritismo, nenhum homem é, ou foi, a encarnação do Espírito de um animal, e nenhum animal um dia será um ser humano.

abs
 
Última edição:

TheSumS

Member
Registrado
TT:
Eu acho mais doloroso pensar em vida após a morte ou reencarnação, viver tudo de novo não tem a mesma graça, sei lá.
Não que aconteçam as mesmas coisas, mas todas as vidas seguem um mesmo esquema...
 
Última edição:

Pennant

Preciso reaprender
Registrado
TT:
Eu acho mais doloroso pensar em vida após a morte ou reencarnação, viver tudo de novo não tem a mesma graça, sei lá.
Não que aconteçam as mesmas coisas, mas todas as vidas seguem um mesmo esquema...

Pode ser doloroso mas, dizer que é sem graça é loucura! :p pois agente não se lembra de nada, uma vez ou outra que vem lembranças de coisas que agente vai achar "não sei porque me lembro disso".
 
F

Flanker

Guest
Lembrando que há tantas boas "evidencias" de sacis como há de espíritos

Isso quando não usam de lengas-lengas emotivas ou informações arrancadas com leitura fria ou quente de parentes

O que os x-píritas acharam da tragéd... digo resgate coletivo lá em Angra?

Com certeza aquelas bárbaros enterravam gente viva em um a vida passada e agora estão sendo punidos por um crime do qual não se lembram :slap:

Continuando, quem em outras vidas, já foi pastor nos Urais, marinheiro na Indonésia e prostituta na China deveria fazer uma salada com essas identidades pessoais e experiências vividas.

Segundo a DE, um espírito "desencarnado" não tem as limitações impostas pelo corpo físico, portanto deveria se lembrar de todas as sua vidas como recordações da existência como espírito encarnado.

Mas nao... na verdade, só falam besteiras típicas de um Zé Mané. Bullshit que sai do subconsciente do "médium" que inventou uma personalidade Zé Mané para se auto-enganar ou iludir premeditadamente.

Outro detalhe. A população aumentou bastante nos últimos 500 anos. De onde estão vindo todos esses espíritos?

Uma fabrica?

Muita gente faz terapia de vidas passadas, mas matematicamente a GRANDE MAIORIA ESTARIA AQUI PELA PRIMEIRA VEZ. E NUNCA falam para ninguém que essa é sua primeira vez ( ispritu virgi, novinho em folha) .

Para qualquer um que procurar fazer essa "TERAPIA" será dito que já passou por aqui antes. A LEI DA ESTATÍSTICA DIZ O CONTRÁRIO.

Associam ao cristianismo , mas a reencarnação também é uma teoria oposta a Javé e a Cristo. Qual a necessidade para deus num sistema de causa e efeito como a reencarnação? Toda a ação gera uma reação e todo o processo é automático.

Para que serviria deus/Odin? Por isso o budismo é um sistema essencialmente ateu.

Alguns outros sistemas querem juntar reencarnação e a idéia de deus, mas não conseguem.

E também, se você evolui de vida em vida nascendo em condições cada vez melhores, qual a necessidade para um salvador?

No sistema reencarnacionista, um salvador é inútil.

Só que no sistema reencarnacionista as idéias de inferno e céu e medo permanecem.

E até bem mais reais. O inferno é um país como o Afeganistão e o paraíso é um país Europeu ou os Estados Unidos.

Você se torna bom para nascer nos EUA e evita o mal para não nascer na Etiópia.

É a idéia do medo que predomina do mesmo modo.

Causa e efeito ou toma lá dá cá

Infelizmente as pessoas tem um profundo desejo que algo seja um fato e passam a fazer de conta que assim o é, pois elas embasam suas convicções nessa formula mágica!

E toda vez que alguem os coloca de frente com a realidade a reação dos religiosos é fechar os olhos, desviar o assunto, partir para as velhas estratégias de vítimas, ou insinuar que os é que outros tem a visão limitada e não vêem que o que eles querem que seja real... e blá, blá, blá

Triste, mas aí eles mostram que são eles os que realmente tem a visão limitada nesse ponto!
 

Soro

Banido
Banido
E você Flanker, por ser tão esperto e conhecer tão bem as verdades universais, ainda perde tempo com essa gente de visão limitada, ignorante, burra? Você é masoquista?

Pois eu acho que antes de criticar você deveria buscar conhecer de perto. Com um pouco mais de embasamento prático, talvez seus argumentos fossem menos vazios e agressivos.

Por falar em agressividade, pelo jeito não adiantou nada eu pedir no primeiro post para mantermos o dialogo em alto nível.
 

TT

mister pessimister
Registrado
Lembrando que há tantas boas "evidencias" de sacis como há de espíritos (...)

Cara, só uma coisa. Se você quer evoluir em algum ponto na sua vida, seja aberto a tudo. TUDO tem dois lados.

Grandes cientistas fazem grandes descobertas apenas por que porcorrem todo um processo, testando e analisando TODAS as evidencias. Cientistas que nunca saem do lugar são os que martelam no mesmo prego sempre, achando que estão na trilha certa.

Acho que fazer parte do Fórum Clube Cético e Ceticismo Aberto é uma boa, mas desde que ele não feche seus olhos para outras probabilidades.

Não precisa acreditar que somos espiritos infinitos ou que somos corpos finitos. Basta levar tudo em conta e ter a mente aberta. Só assim a gente evolui e pode ter uma conversa de nível com qualquer pessoa, sobre qualquer assunto.
 

M0Z4R7.3D

Banido
Banido
Eu mesmo conheço vários espíritos, me inspiro em diversos e me afasto de tantos outros, isso quando digo que tenho espírito aventureiro, o meu espírito guerreiro é uma herança dos antepassados, meus e os que não são meus antepassados diretos, tenho ainda o espírito de luta, que é diferente do de guerra, o que me impulsiona a conquistar ao invés de querer impor e fujo mesmo do espírito de porco, tenho pavor do espírito da discórdia e chamo o papai do ceu se perceber aproximação de algum espírito maligno. :p

Não tenho julgamento suficiente para dizer ou não sobre a eternidade, mas sinto ela no meu espírito porque ele é minha ligação com minha alma, se digo algo de eternidade não é por acreditar mas por experiência, no entanto nem vou aqui querer que entendam minha experiência os que não tem algo semelhante, como poderia eu falar de sexo com alguém que nunca vivenciou? descrever um sabor exótico de algum alimento sem distorcer ele ao comparar com algum outro comum? mas posso dizer sim uma coisa que faz a diferença, já que foi citado Jung, eu falaria do ego, porque ele é o principal inimigo do proprio individuo quando ele tem o controle, veja por exemplo que ele levaria ao consumismo, ao vício e à compulsão obrigando o pobre ser a lhe trazer sempre prazeres imediatos e superficiais que são cada vez mais breves e a busca cada vez mais frustrante. O consumista é levado a comprar coisas que não precisa em busca do prazer fugaz e fútil do sentimento de poder, de aquisição, logo ou quase imediatamente descartado e transformado em mais consumo, também o viciado que cada vez mais aumenta a dose em busca do estado que experimentou na primeira dose e que cada vez mais fica distante na dose seguinte, o levando à compulsão, tal como um fumante que se entope de maços e mais maços de cigarros diários, o noia que se degenera co a droga, o bebum que se degrada com a perda do controle...a compulsão que não deixa o indivíduo escapar mesmo que ele não caia nos extremos dos vícios ou do consumo, e substitui por compulsões que não tem fim, das mais simples até as inacreditáveis...mas por que o ego faz isso? porque ele se alimenta desta forma consumindo seu proprio ser? ficando no consciente da pessoa o desejo de viver intensamente ele acaba dopando a vida, ao invés de contemplar e se dar por satisfeito em contemplar o grande mistério da vida, ele passa por ela despercebido, correndo superficialmente, atrás do que não lhe satisfaz e frustrado transforma o que é uma graça no tormento da busca incessante do que jamais atingirá, porque ele sabe que o tempo é curto, e que em sua humanidade ele vislumbra que a vida é tão imensa que se torna capaz de anular, tornar ele tão pequenino e insignificante que ele praticamente inexiste, como um gurú disse, é como um fardim pequenino que sabe que se for invadido pela selva ele se funde com ela e deixa de existir, o ego jamais permitira a liberdade do que ele subjuga, mas o ser que sabe programar seu inconsciente estará semeando sua verdadeira natureza, porque o verdadeiro ser é e está mais no inconsciente da realidade concreta do que na aparência fantasiosa da sensação de segurança e controle que o fazem ter a certeza de algo que pensa que possui dentro da ilusão que não consegue ver.
 

Savino

New Member
Registrado
Cara, só uma coisa. Se você quer evoluir em algum ponto na sua vida, seja aberto a tudo. TUDO tem dois lados.

Grandes cientistas fazem grandes descobertas apenas por que porcorrem todo um processo, testando e analisando TODAS as evidencias. Cientistas que nunca saem do lugar são os que martelam no mesmo prego sempre, achando que estão na trilha certa.

Opa, mas aí você falou que falta na doutrina espirita, EVIDENCIA.
Não existe, nem nunca existiu nenhuma evidencia sólida no que diz respeito a espíritos, apenas pessoas que se deixam levar pelo lado emocional, tanto do lado dos mediuns como do lado dos que consultam com eles.

E exatamente por faltar evidencias é que não se vê nenhum Instituto de pesquisa com credibilidade no meio academico pesquisando as questões do espírito.
Devemos manter a mente aberta? Claro que sim, mas não tão aberta a ponto de o cerebro cair para fora. Mente aberta não quer dizer aceitar qualquer baboseira que jogam em você só por que tá na moda. Mente aberta quer dizer você saber analisar os dados, verificar a validade de determinada coisa e descartar o que não for relevante.
Esse, em termos reais, é o caso do espiritismo e das religiões em geral.
Não toco no assunto do conforto que tais filosofias trazem para as pessoas e sim sua contribuição para o conhecimento coletivo da humanidade.
 

Red Rabbit

New Member
Registrado
Opa, mas aí você falou que falta na doutrina espirita, EVIDENCIA.
Não existe, nem nunca existiu nenhuma evidencia sólida no que diz respeito a espíritos, apenas pessoas que se deixam levar pelo lado emocional, tanto do lado dos mediuns como do lado dos que consultam com eles.

E exatamente por faltar evidencias é que não se vê nenhum Instituto de pesquisa com credibilidade no meio academico pesquisando as questões do espírito.
Devemos manter a mente aberta? Claro que sim, mas não tão aberta a ponto de o cerebro cair para fora. Mente aberta não quer dizer aceitar qualquer baboseira que jogam em você só por que tá na moda. Mente aberta quer dizer você saber analisar os dados, verificar a validade de determinada coisa e descartar o que não for relevante.
Esse, em termos reais, é o caso do espiritismo e das religiões em geral.
Não toco no assunto do conforto que tais filosofias trazem para as pessoas e sim sua contribuição para o conhecimento coletivo da humanidade.
Meu caro, EVIDÊNCIAS só são possíveis se existirem os meios. Enquanto não existir os meios não é possível que exista evidências.

Quando não existia evidências de que poderia haver vida fora da terra o mundo era cético quanto a isso; quantos incrédulos foram formados nessa escola devido a afirmações preciptadas de ciêntistas egocêntricos que acharam que sabiam de tudo? Hj que existe evidências, ninguém é louco de afirmar que não exista vida em outros planetas. Várias e várias outras coisas só foram possíveis de acreditar quando descobriram os meis, antes eram julgadas como absurdo ou loucura.


Tudo segue um equilíbrio perfeito, cada coisa em seu determindado tempo.
 
Última edição:

murilopscg

New Member
Registrado
Se existe alguma coisa depois da morte, eu sei lá.. não sou adivinhão. :lol:
Pra falar a verdade, não perco nem 1 minuto pensando sobre isso.

Eu só tenho a curiosidade de saber sobre o espírita Chico Xavier.
Sei pouco sobre ele. Há alguma veracidade nas coisas que ele fazia e escrevia? (psicografias.. ou seja lá o que fazia..)
 

Savino

New Member
Registrado
Meu caro, EVIDÊNCIAS só são possíveis se existirem os meios. Enquanto não existir os meios não é possível que exista evidências.
Mas com esse tanto de gente recebendo espiritos é muito simples comprovar se são reais ou não.
Falar que não temos o meio é um tanto quanto ingenuo de sua parte.

Quando não existia evidências de que poderia haver vida fora da terra o mundo era cético quanto a isso; quantos incrédulos foram formados nessa escola devido a afirmações preciptadas de ciêntistas egocêntricos que acharam que sabiam de tudo? Hj que existe evidências, ninguém é louco de afirmar que não exista vida em outros planetas. Várias e várias outras coisas só foram possíveis de acreditar quando descobriram os meis, antes eram julgadas como absurdo ou loucura.
A possibilidade nunca foi negada, exceto pela igreja, que proibia qualquer pensamento do tipo. Giordano Bruno foi queimado vivo por falou que havia vida inteligente e jesus para todas os planetas no universo, isso ha mais ou menos 500 anos.
Não lembro quais dos gregos pré-socraticos também falava de outros planetas habitatos, ha mais ou menos 2500 anos.
Ou seja, sempre considerou-se a possibilidade.

Agora, o que você jamais vai encontrar é uma pessoa sensata falar que existe vida fora da terra simplesmente por que existem muitos planetas.
Apesar de parecer óbvio, não temos nenhuma prova, então não podemos afirmar nada. Nem em termos de probabilidade podemos falar alguma coisa, já que o único exemplo que temos é a terra, e não sei se é do seu conhecimento, mas não se faz estatística com um exemplo.

Por fim, concluo dizendo que pessoas que mentem descaradamente e problemas psicológicos já foram comprovados científicamente, ou seja, enquanto não aparecer uma prova sobre espíritos, eu vou trabalhar em cima da teoria vigente.

E bem vindo ao mundo científico, ele é feito assim, e não com achismos e opiniões apaixonadas.
 

Soro

Banido
Banido
Como vc pode afirmar que não existem evidências?

Isso é mentira. Existem. Eu tenho evidências na minha vida, eu já li, já vi fotos, já ouvi.

Você precisa de evidências comprovadas em laboratórios sérios, porém a partir do momento que qualquer cientista ou laboratório que se proponha a fazer isso, passa a ser considerado excentrico e indigno de crédito pela comunidade cética.

Ou seja, vocês são rídiculos, falaciosos, refratários.

Existe charlatanismo, mas me explique as EVIDÊNCIAS gravadas em vídeo de João de Deus em Goiás.

Me explique, sob sua ótica de psicologo (fazer 4 ou 5 anos de faculdade não confere poderes a ninguém, saiba disso), minhas experiências pessoais, as experiências pessoais de meu tio, de minha filha, de meu filho, de minha mulher (as quais não vou contar nenhuma agora).

Você não explica, você tenta explicar, baseado em sua fé científica.

Então não me venha falar que não existem evidências, porque elas existem, mas você não quer ve-las.

Vá a igreja, frequenta um centro espirita, converse com as pessoas e lhes de algum crédito, ao invés de apenas tentar analiza-las. Talvez vc encontra de forma bem EVIDENTE algumas coisas bem estranhas, que seu cerebro esquerdo talvez não aceite muito bem.
 

M0Z4R7.3D

Banido
Banido
:eek: Evidências sobre o Espírito? assim exatamente, não, digamos que se tirar o E então teremos algo, vidência é um sentido espiritual, então permitam eu falar um pouco aqui sobre pequenos indícios que eu acredito haverem mas que ainda não evidenciam.
"O domínio da mente sobre o corpo e do espírito sobre a matéria é oque torna um monge invulnerável" (Máxima Shao Lin), :no: não, eu não sou Shao Lin só quis demonstrar referências em um momento histórico, de algo que é considerado hermético, digo, somente era discutido entre os maiores expoentes da Arte Marcial, aqueles que nos filminho de Kung Fu saem voando e a barba branca é do tamanho de uma gravata...

Indícios:
Há uma força na natureza que não é apenas química ou fisiológica, quando falo desta energia não me refiro a nenhuma bomba de sodio/ potássio, algo assim, mas ela tem a capacidade de controlar e dirigir também estas transformações do organismo... :p claro que estou falando do Chi, o Ki, o Prana, mas falo 'superficialmente' lhe atribuindo como fator de indício!
É atualmente amplamente conhecido e até utilizado este conhecimento na acupuntura, em seus meridianos é possível direcionar esta energia tonificando ou sedando orgãos em suas fisiologias e tal, assim obtendo resultados terapêuticos do tipo que é obtido em muitas clínicas e consultórios, de pressão alta a estímulo dos sistemas nervosos, nem preciso dizer que os golpes mortais mais sofisticados, a verdadeira Arte também repousa neste conhecimento.
:huh: Tah, eu chego lá onde quero falar do espírito, estava me referindo que há algo que já pode ser controlado científicamente (embora ainda muito no início e com resultados muitas vezes apenas de apoio ou complementação) mas que não é algo que alguma vez tenha se obtido uma amostra ou imagem de laboratório.
Mas por que estou falando disso enquanto tento falar de indícios do espírito? hahá, ai é que táh...o que vcs acham que os monges lá faziam 'hermeticamente'? eu digo, eles não apenas rezavam (busca consciente de Deus, digo, da consciência ou inteligência 'cosmica'), mas também faziam uma prática que herdaram dos Yogas lá, do BodhiDharma, a meditação, :slap: peraí, eu sei o que vc está pensando, mas agora tenho que definir que há muitas tecnicas de meditação, do simples 'exame de consciência' que é o mais comum no ocidente, até as práticas mais secretas dentre elas o controle desta energia utilizando da 'força do pensamento dirigido'...o pensamento que também nunca teve nenhuma amostra obtida ou fotografada é outra coisa 'concreta' que existe dentro deste mundo humano e que também pode ser uma coisa abstraida da realidade concreta de afazeres triviais...como neste exemplo, quando perceberam que podiam controlar esta energia não apenas com agulhas mas também pelo controle das faculdades mentais perceberam a loucura da realidade em que estavam inseridos, não por acaso e nem de bobeira estas Artes Marciais são Místicas.
Porque eles descobriram que podiam acumular esta energia dilatando seus canais de fluencia (tem os chakras que são centros e tem os lingans que são os canais, como orgãos e veias), e fazendo isso eles percebiam que o organismo parecia se fortalecer, se condicionar, a energia adentrava musculos e tendões, tornando eles flexíveis e inesgotáveis, quando penetrava o osso este utilizado juntamente com o Chi se tornava resistente como um metal, os quebramentos são tecnicas que buscavam demonstrações ainda mais 'concretas' destas ulitizações, o Chi Gung que é um quebramento ao contrario também...etc.
Finalmente, dentre estes haviam os mestres máximos, que experimentavam algo que surpreendente na prática, eram despertados sentidos 'latentes' que eles definiram como etereos, e estes Chakras que defini como orgãos os quais eram alimentados pelos lingans que são como veias, canais, eram responsáveis pelo despertar de tais sentidos...um deles é muito conhecido, porque todo, eu disse TODO oriente o reconhece e no mínimo merece respeito, e é o 'Olho de Shiva', a terceira visão, que os picaretas e charlatões chamam de Vidência, e o caso é que este sentido é atribuido ao espírito, e TODOS tem ele latente, só procura um picareta quem não sabe utilizar, digo, eu também tô latino neste aspecto huahuahuahua :lol: , mas falando serio agora, os mestres percebiam e desenvolviam diversas habilidades à partir disto e assim logicamente também nasceram mitos e fantasias, porém também está lá algum fragmento de realidade, de algo que muitos, milhões tem conhecimento, mas ninguém pode provar, senão manifestando, mas aí entra o ponto, se o espírito existe, os espíritos existem, vc precisa estar puro, forte para utilizar ou haveremos de convir que muitas outras coisas também existem, influências e manifestações, algo que na verdade é superior ao nosso estado, eles também devem nos respeitar, mas somos como crianças diante de adultos perante os espíritos e não é portanto algo que possamos 'forçar' a barra...etc e tal, blah blah blah acho que já falei sobre algum indício para quem quer ler algo serio a respeito, mas logico que mesmo que eu tivesse algum segredo hermético eu não ia aqui revelar pra ninguém...:ras:
Huahuahuahuahua...brincadeirinha.
Eu poderia aqui entrar em hipnotismo (que não é a hipnose clínica) as regressões que levaram à base da teoria reencarnacionista, o descontrole que ocorre se vc insere alguém dentro disto, digamos vc volta a pessoa e ela ganha outro nome, identidade, idioma as vezes pode ser uma lingua morta, dialeto, algo que a torna incomunicável, ela pode morrer novamente com um procedimento arriscado e assim a ciência não aprova até por causa da etica e dos meios que ela exige para pesquisas seguras com humanos, mas o assunto é vasto, remonta seculos e está longe de se esgotar, fora que há picaretagem e charlatanismo no meio sim e isso seria improdutivo, só como indício já foi válido, não?
[]
 
Última edição:

Savino

New Member
Registrado
Ja falei Soro, entre espiritos que vagam pela Terra e fenomenos psicológicos, é muito mais óbvio o segundo.

Você, seu tio, sua esposa, seus filhos, todos os que você citou, se for verdade o que você está dizendo, sofreram de algum tipo de alucinação.
Simples assim.


Eu que não gosto de ficar falando da minha vida como vocês, mas tem um tempo que meu pai é espírita. Já conversou comigo, já explicou, já tentou demonstrar... mas fica claro, coitado, que é apenas uma visão apaixonada e desesperada pela vida e um terror imenso da morte dele e dos entes queridos.

Mas bem, esse é um país livre, e você pode acreditar no mito que melhor lhe aprouver!
 

Usuários que está vendo este tópico

Topo